Crítica: Do Fundo do Mar 2 (2018) - Sessão do Medo

10 de abril de 2018

Crítica: Do Fundo do Mar 2 (2018)


Hey pessoal, pois é, estou aqui muito triste só para confirmar o que já era previsto. 'Do Fundo do Mar 2', a sequência de um dos melhores filmes de tubarão, é um droga. Definitivamente, entra fácil num dos piores filmes do ano. Sinceramente nem sei por onde começar, mas vamos desde o inicio. 

Do Fundo do Mar é um filme de 1999 que mostra um grupo de cientistas fazendo experiências com três tubarões da espécia Mako, para descobrirem uma cura  para o Mal de Alzheimer. Como resultado dessa experiências, os tubarões acabaram adquirindo uma inteligência acima do normal e resolvem caçar os cientistas, inundando por partes o enorme complexo chamado 'Aquáctica'. 

Com esse roteiro de Duncan Kennedy, a direção de Renny Harlin, e com um elenco muito bom. O filme conseguiu se sobressair do gênero que, embora não seja melhor que o grande clássico 'Tubarão' e em alguns momentos tenha efeitos bem duvidosos, diverte bastantes e dá ao público algo descente e interessante com mortes bem elaboradas e um desfecho muito coerente. 

Depois desse filme, todo mundo queria uma sequência que nunca aconteceu. Aí em 2017, Renny Harlin alegou que tinha planos para uma sequência em 2009, ele disse: "Minha intenção era trazer esses tubarões com mutações violentas, eles viriam com armas, metralhadoras."... Pelo que foi dito, parecia muito com um daquelas infinitas tranqueiras da Syfy, não é?


Foi aí que, de repente, no fim de 2017, a Warner soltou a bomba, 'Do Fundo do Mar 2' já tinha trailer, poster, e ia ser lançado pelo canal Syfy. O trailer não mostrava muita coisa, mas dava para notar que o filme podia ser algo bem ruim, mas eu me segurava na esperança de que a classificação indicativa era Rated-R (para maiores de 17 anos), por cenas “extremas de violência e sangue com criaturas monstruosas e linguagem chula”. enfim, eu gosto muito do original.

O longa é dirigido por Darin Scott e estrelado por Michael Beach, recentemente confirmado no elenco de 'Aquaman'. Além dele, temos: Danielle Savre, Rob Mayes e Nathan Lynn.

Noite passada eu consegui ver essa pérola e aqui estou eu para confirmar que essa sequência é uma perda tempo. Em alguns momentos parece um remake do original disfarçado de sequência com mesclagem ao filme 'Piranha', só que mais pobre, fraco e limitado. Não chega nem perto do que os fãs esperavam. Sabe, isso irrita bastante, é um filme de quase 20 anos de diferença do original e consegue ser incrivelmente pior. É muito contraditório, teoricamente, com o avanço da tecnológica e com o tempo que tiveram para elaborar algo bom, deveria ser feito algo no mínimo digno de ser chamado de 'Deep Blue Sea'. Mas, fazer o que... Parece que está se tornando comum fazer sequências que os fãs tanto esperam e cagarem encima dela, olha só 'Olhos Famintos 3' aí.   


A história é de um bilionário picareta chamado Carl Durant (Michael Beach), que está fazendo experimentos com tubarões-touro,com o objetivo de criar um medicamento que é capaz de mudar a estrutura do cérebro resultando em seres com uma super inteligência. Entretanto, por causa dessas experiência os tubarões se modificaram e começaram a aprender chegando ao ponto dos cientistas não conseguirem mais controlá-los, os tornando seres super inteligentes e imprevisíveis.

O complexo onde as experiências são realizadas se limita a uma sala com uma piscina e longos corredores, dificilmente você terá a sensação de que está no fundo do mar. Enquanto no primeiro existe toda uma preocupação em nos apresentar o local que será alvo dos ataques dos tubarões, na parte 2 as ideias da instalação são jogadas sem cerimonias e nós temos que engolir. Para se ter uma ideia, um dos cientistas está lá embaixo na sala com a piscina, sobe à superfície e desce de novo em questões de segundos. Não há a preocupação de criar uma atmosfera sufocante e tensa por se estar no fundo do mar.



E quando a coisa começa a dar errado para os cientistas, é o cúmulo da burrice. Todos se separam e ficam rondando por corredores inundados e com iluminações coloridas que mais parece a espaçonave dos Power Rangers. E quando você acha que não pode piorar, piora. Filhotes de tubarão entram no complexo e saem matando os sobreviventes no bom e velho estilo de piranhas, e são esses filhotes que vão se encarregar de metade do elenco e vão ser a maior ameaça. Sim, pessoal, os tubarões inteligentes são coadjuvantes, o negócio é com os filhotes que chegam fazendo grunhidos e agitando a água para avisar aos cientistas que eles estão ali. 

O elenco está pavoroso, não transmitem nenhum pingo de emoção, especialmente Rob Mayes que parece estar muito desconfortável com o seu herói Trent. Danielle Savre interpreta a Dr. Misty Calhoun que é convidada para ser consultora no projeto do Carl, ela é a típica personagem altruísta que vai contra as experiências e que bate de frente contra o todo poderoso Durant. De cara, você vai saber quem vive e quem morre. 


Em algumas cenas você vai notar que houve uma tentativa que copiar o original, a morte do Samuel L. Jackson, a cena da escada, o tubarão que fingi estar dormindo, está tudo aqui. Mas, tem uma ou outra cena que até achei legal, apesar dos efeitos ruins, porém nada que fique na memória ou faça você gostar dessa película, o estrago foi grande. 

Para não me estender muito, digo que é um capítulo clichê, previsível, sem criatividade e muito mal feito. Até a trilha sonora é horrível, seria melhor se eles copiassem a musica do primeiro, mas até nisso eles pecaram, ela não se encaixa no filme. É uma enorme decepção que vai fazer o público sentir raiva com os absurdos da trama, isso não é 'Do fundo do Mar', não é um filme de tubarões', não é um filme de piranhas, isso é um filme da Syfy. Seria melhor terem deixado o original intocado ao invés de fazerem isso. É um pena. Nota: 2,5.  

poster
ficha técnica
Título Original: Deep Blue Sea 2
Ano: 2018 • Duração: 94 minutos
Direção: Darin Scott
Roteiro: Erik Patterson, Hans Rodionoff
Elenco: Danielle Savre, Darron Meyer, Michael Beach, Rob Mayes
Sinopse: Um bilionário brilhante, Carl Durant, está fazendo experimentos em tubarões-touro, o que logo se torna um pesadelo para um grupo de cientistas que terá sobreviver e lutar contra um bando de tubarões geneticamente modificados.


Um comentário:

  1. Anônimo4/22/2018

    se é pra ser ruim, tao ruim e nonsense ate ser divertido, a gente fica com sharknado e suas milhoes de sequencias...

    ResponderExcluir