Crítica: Exorcismos e Demônios (2018) - Sessão do Medo

9 de abril de 2018

Crítica: Exorcismos e Demônios (2018)


Alguém precisa dar um basta nos filmes sobrenaturais. Sério. Após quase uma interminável década, já é bem perceptível os desgastes que esses tipos de filmes, uma tendência após hits como Atividade Paranormal (2009), Sobrenatural (2011) e Invocação do Mal (2013), levam em suas produções, algo que fica ainda mais claro ao ver Exorcismos e Demônios, previamente intitulado por aqui como A Crucificação, novo filme do francês Xavier Gens, que impressionou a todos com sua violência gráfica em A Fronteira (2007) mas que aqui faz um trabalho visualmente bonito em um filme sem um pingo de inspiração.

O que mais irrita em Exorcismos e Demônios, cujo roteiro é assinado pela dupla Chad e Carey Hayes (dos dois Invocação do Mal), é que é um filme sem absolutamente nada inovador. Literalmente, é tudo que você já viu em outras 2.000 produções do gênero e um pouquinho mais. O enredo até lembra um pouco O Exorcismo de Emily Rose e foi baseado numa história real (aren't they all?), que aconteceu na Romênia em 2005: uma jornalista americana viaja até a Romênia para investigar o assassinato de uma jovem freira, que foi crucificada durante um exorcismo. Lá, ela tenta remontar o caso para encontrar a verdade. A freira era uma mulher doente ou estava mesmo possuída?



Sentiram as semelhanças? O filme ainda usa o mesmo recurso narrativo de flashbacks para explorar os eventos da dita possessão. Há alguns elementos interessantes que são mencionados mas nunca trabalhados de uma forma digna e que definitivamente poderia melhorar o filme no geral. Por exemplo: Como a cidade é em um continente diferente e tem costumes diferentes, existem algumas coisas bem bizarras como o festival de máscaras ou até mesmo os olhares desconfiados dos locais que causam desconforto e poderiam aumentar o clima de paranoia se fosse aproveitado mas claramente não foi.

Diferente do supradito, Exorcismos e Demônios não trabalha bem a dúvida que a protagonista sente entre o "realista" e o "religioso", fazendo com que sua investigação se torne chata - talvez até em vão - vide o desfecho do filme pois nós sabemos desde o início do que realmente se trata. Um detalhe mencionado no trailer e até tocado no longa é que o tal demônio pula de corpo em corpo mas isso nem chega a ser explorado no filme, tornando a coisa toda mais ainda chata pois não há nada de diferente. Nem a própria "crucificação" dá um ar diferente às coisas.

Ainda há uma problemática que achei bem séria no filme: a protagonista Nicole (Sophie Cookson) é uma ateia e ao longo do filme acontece debates entre ela e o padre Anton (Corneliu Ulici), o que é normal. Mas no geral, a personagem é basicamente forçada a largar suas crenças devido a certos acontecimentos que não vou entrar em detalhes pois são spoilers. Não só a trama da jornalista mas a da própria freira e as razões que a levaram a ser possuída é de extremo desserviço. Não me leve a mal, quase todos os filmes de exorcismo possuem uma propaganda cristã, mas neste ela foi feita de forma nada discreta e extremamente forçada.


Ao invés de investir num clima pesado - já mostrado em A Fronteira, embora este não seja sobrenatural -, Xavier Gens apresenta técnicas afiadas de filmar a história mas isso é o preocupante. A fotografia caprichada impressiona em basicamente tudo e é uma pena que seja melhor do que o enredo. É uma pena que toda essa qualidade visual seja desperdiçada numa história tão sem graça.

O trailer vende uma história bem mais interessante do que ela realmente é. Como já falei e repeti anteriormente no post, Exorcismos e Demônios é uma soma cansativa de clichês mal aproveitados e nem serve como um entretenimento. É sem graça e sem novidades, os sustos não funcionam e ainda traz um desfecho brusco tirado do nada. Era uma oportunidade de trazer uma premissa interessante, com o demônio agindo como um "parasita" no estilo O Enigma de Outro Mundo (1982) mas no final das contas é apenas uma produção esquecível que não vai perdurar por muito tempo na sua mente após o fim.

*Crítica postada em 16/10/17.
poster
ficha técnica
Título Original: The Crucifixion
Ano: 2018 • Duração: 89 minutos
Direção: Xavier Gens
Roteiro: Chad Hayes, Carey Hayes
Elenco: Sophie Cookson, Corneliu Ulici, Brittany Ashworth, Matthew Zajac, Diana Vladu, Javier Botet
Sinopse: Padre é sentenciado à prisão após a morte de freira durante um exorcismo e uma jornalista investiga se ele assassinou uma pessoa mentalmente doente ou se apenas perdeu uma batalha contra uma presença demoníaca.


4 comentários:

  1. Esse é brabo, já tá na lista dos 5 piores do ano!

    ResponderExcluir
  2. Eu tbm não aguento mais filmes com espiritos e demonios. Onde estão os filmes com monstros?

    ResponderExcluir
  3. Conseguiram piorar o título mil vezes com esse "Exorcismos e Demônios".

    ResponderExcluir
  4. Anônimo5/07/2018

    Baseado numa historia real!Este é o seu merito!! - marcio "osbourne" silva de almeida/jlle-sc

    ResponderExcluir