Crítica: Os Esquecidos (2018) - Sessão do Medo

5 de abril de 2018

Crítica: Os Esquecidos (2018)


Se eu tivesse oportunidade de fazer um filme, definitivamente seria de terror e provavelmente seria um slasher. Uma mistura de carta de amor ao gênero mas ao mesmo tempo tentando trazer algo novo ao gênero. Aliás, se você só fizer mais um bocado de clichês juntos, seu filme não ficará muito memorável, concordam? Infelizmente, este é o maior erro de Los Olvidados, ou What the Waters Left Behind como foi intitulado nos EUA. Este slasher argentino dirigido pelos irmãos Luciano e Nicolás Onetti peca justamente por trazer um roteiro preguiçoso feito com tudo que já foi feito antes e nem se preocupa em pelo menos divertir o público, com um trabalho cheio de falhas e péssimas escolhas artísticas.

É uma pena pois todo mundo sabe como é difícil fazer terror na América do Sul, principalmente do tipo slasher. Tomemos como exemplo o nacional Condado Macabro (2015), que fez um burburinho dentro da comunidade, mas demorou bastante pra ver a luz do dia devido à dificuldade de achar financiamento. Los Olvidados definitivamente encontrou este apoio pois o nível de qualidade da produção é inegável. Uma pena que o roteiro e a direção perdida não colabora para fazer o filme se destacar.


Se você já viu O Massacre da Serra Elétrica (1974), Quadrilha de Sádicos (1977), Wolf Creek (2005) ou todo filme com assassinos num cenário árido, você já assistiu Los Olvidados. Digo isso por que a influência vai além da inspiração e chega a ter tomadas e ideias iguais. Cenas extremamente clichês que tiram o pouco de originalidade que o filme devia ou podia ter. Talvez o único ar de frescor vem da locação da história: a cidade fantasma de Epécuen, que foi submergida após uma enorme inundação. Um grupo de documentaristas rumam ao local juntamente com uma antiga moradora, que na época era criança e está ali para gravar algumas cenas detalhando a inundação.

Então como todo slasher, eles se deparam com alguém estranho no caminho (neste caso um posto de gasolina com um trio de caipirinhas estranhaços); chegando lá o carro não funciona e eles se veem presos; do nada começam a serem mortos um a um por um assassino provavelmente mascarado ou deformado ou os dois.

Se tratando de slashers, eu nem sou tão crítico. Eu adoro o gênero e a escassez dele nos últimos anos me fez valorizar a diversão que eles propõem. Um slasher pra mim não precisa ser excelente nem reinventar o gênero. Pode ter clichês sim, mas se bem usados. Tem que ter cenas de perseguição tensas, algumas mortes bem feitas e sangrentas e definitivamente uma boa final girl (ou final boy) com um grandioso e competente embate final. Isso é simples de se fazer. Mas nem isso Los Olvidados consegue fazer.


O que vemos depois de certo ponto do filme são cenas jogadas sem um maior propósito ou inspiração. O roteiro é cheio de furos e parece ter cenas faltando. A criação dos vilões é extremamente preguiçosa e não tenta nem se diferenciar para dar maior credibilidade à obra. Resumindo: o filme se torna tedioso. Nem as surpresas que o roteiro tenta guardar surpreende. 

Foi uma grande decepção para mim ver o desastre que Los Olvidados é por que, além de ser um slasher e eu quase nunca dispenso ver um novo, era uma oportunidade perdida. É uma película sem muita inspiração e sem muita ambição, que ficou na zona de conforto por tempo demais e perdeu o pique de se destacar entre outras obras do gênero. Para quem quiser arriscar, o filme está disponível na Netflix.

poster
ficha técnica
Título Original: Los Olvidados
Ano: 2018 • Duração: 98 minutos
Direção: Luciano Onetti, Nicolás Onetti
Roteiro: Luciano Onetti, Nicolás Onetti, Carlos Goitia
Elenco: German Baudino, Paula Brasca, Mirta Busnelli, Victorio D'Alessandro
Sinopse: O filme gira em torno de um grupo de jovens que viaja às ruínas para filmar um documentário sobre Epecuén. Ignorando os avisos, após um breve reconhecimento do local, eles ficam presos na aldeia abandonada. Ao contrário do que pensavam, eles começam a perceber que realmente não estão sozinhos...


Um comentário:

  1. Anônimo4/06/2018

    Eu fiquei nooossa, o Luca de Quase anjos hahaha, eu particularmente achei bem interessante.

    ResponderExcluir