Crítica: Cargo (2018) - Sessão do Medo

21 de maio de 2018

Crítica: Cargo (2018)


Após 5 anos, finalmente foi lançado o longa-metragem Cargo, baseado no curta homônimo que viralizou em 2013, na época em que séries como The Walking Dead ainda eram relevantes. O curta contava em sete minutos de duração a luta de um pai tentando salvar sua bebê durante um apocalipse zumbi. Infectado, ele tem poucas horas para encontrar um lugar seguro para sua "preciosa carga". O filme foi concluído ano passado e exibido em alguns festivais, onde a Netflix adquiriu os direitos e o lançou oficialmente em sua plataforma nesta sexta (18).

Assim como muitas adaptações de curtas para longa-metragem, Cargo sofre um pouco ao ter a história esticada para se encaixar em mais de uma hora e meia. Isso é até normal e dependendo de outros aspectos da produção, não chega a ser uma grande falha. O fato é que mesmo que seja um filme competente para seus padrões, Cargo poderia ter apelado mais para o melodrama para transmitir um peso emocional maior e necessário para o tipo de história.


Transformando 7 minutos em 104, o roteiro de Yolanda Ramke abre espaço para um início, meio e fim para o enredo, dando a partida momentos antes de onde o curta começaria. Andy (Martin Freeman, Pantera Negra) está em um barco com sua esposa Kay (Susie Porter) e sua filha recém-nascida. Após algumas falas, podemos notar que eles estão naquele veículo há alguns dias, fugindo, ou melhor, sobrevivendo a alguma coisa - que logo se revela um apocalipse zumbi. Ao se depararem com um barco abandonado, Andy resolve checar se há mantimentos deixados para trás. Ele não espera que sua mulher faça o mesmo após ele tirar uma soneca.

Infelizmente, Kay é mordida por um zumbi e logo se inicia seu processo de transformação que dura 48 horas. Eles saem do barco em busca de auxílio na terra mas sua morte é inevitável. O que complica tudo é que, após sofrerem um acidente de carro onde Andy fica inconsciente, Kay se transforma e o morde. Começa então uma jornada contra o tempo onde um pai desesperado procura soluções para salvar sua filha.


Ao longo da jornada, novos artifícios são utilizados para completar a história, como a introdução de personagens como a garota Thoomi (Simone Landers), uma descendente de aborígenes locais que tenta sobreviver sozinha ou Vic Carter (Anthony Hayes), um homem misterioso que tem planos para quando o apocalipse "acabar" e fará o necessário para sobreviver, mesmo que isso signifique tomar medidas extremas.

Para um filme de zumbis, um gênero que convenhamos, anda um pouco saturado, Cargo consegue a árdua tarefa de se destacar em meio à multidão e ser bastante decente. Há alguns detalhes interessantes como o kit de sobrevivência doado pelo governo para que as pessoas tomem suas próprias medidas necessárias em relação ao vírus (incluindo uma ferramenta que perfura o crânio) ou até mesmo a gosma amarela que cobre o rosto dos infectados. 

No entanto, há conveniências do próprio gênero que, juntamente com a escolha de contar uma história diferente (leia-se "lenta"), que faz com que Cargo seja um filme morno. É uma escolha atraente para assistir como passatempo, mas também acaba sendo bem esquecível quando poderia ter sido maior e melhor. Uma coisa que foi um ponto a menos para mim foi a ideia de apresentar todo um subplot sobre os aborígenes (coisa bastante normal já que o filme se passa no outback australiano) que acaba destoando um pouco da história principal.


Martin Freeman, mesmo sendo um bom ator, entrega uma atuação bastante contida para um personagem que pedia por algo mais marcante e emocional. Ele não conseguiu me vender seu personagem e isso me incomodou bastante. Porém, isso pode ser culpa da direção da dupla Ben Howling e Yolanda Ramke que podem ter optado por este tipo de atuação pro ator. Mas não temos como saber.

Se você está procurando um terror bem feito para passar o tempo no final de semana, Cargo pode ser o seu filme. Apesar disso, o resultado é abaixo do esperado para o grande potencial que a história tinha. De qualquer forma, assistam e tirem suas próprias conclusões!
poster
ficha técnica
Título Original: Cargo
Ano: 2018 • Duração: 104 minutos
Direção: Ben Howling, Yolanda Ramke
Roteiro: Yolanda Ramke
Elenco: Martin Freeman, Anthony Hayes, Susie Porter, Caren Pistorius, Simone Landers
Sinopse: Abandonado no meio de um apocalipse zumbi, um homem põe em marcha um plano improvável para proteger a preciosa carga que ele carrega: a sua filha recém-nascida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário