Crítica: Verdade ou Desafio (2018) - Sessão do Medo

2 de maio de 2018

Crítica: Verdade ou Desafio (2018)


Chega aos nossos cinemas nesta quinta a nova produção da Blumhouse, Verdade ou Desafio, que no título original até recebe o nome da produtora no melhor (?) estilo Hammer (Blumhouse's Truth or Dare). O terror jovem vem recebendo uma ampla divulgação no país, mesmo tendo sido um fracasso de bilheteria lá fora - mas não chegando a ser um prejuízo. O que não surpreende, para ser sincero, pois o filme é obviamente um cashgrabber, sem nenhum motivo de ter sido lançado nos cinemas ao invés de home video. A estrutura da história se assemelha bastante à outra bomba da produtora, o pavoroso Ouija - O Jogo dos Espíritos (2014). Junta isso com uma direção automática e alguns atores recém-saídos de séries de sucesso com o público adolescente americano, Lucy Hale (Pretty Little Liars) e Tyler Posey (Teen Wolf) e vemos que Verdade ou Desafio é apenas uma saída fácil pra conseguir uns trocados a mais. A ruindade é visível desde o primeiro trailer, mas aqueles que ainda acreditavam no potencial do terror, tinha pelo menos a esperança de que fosse divertido, certo? Errado! Verdade ou Desafio é muito bobo para ser divertido e se leva muito a sério para ser uma bomba carismática.

A história segue a jovem Olivia (Hale), convencida pela melhor amiga Markie (Violett Beane) para ir em uma viagem ao México com um grupo de amigos. Na última noite da viagem, Olivia conhece o jovem Carter (Landon Liboiron), que acaba convencendo ela e seus amigos a irem até uma igreja abandonada (podem rir) onde eles jogam o clássico verdade ou desafio. Depois de algumas brincadeiras feitas, Carter acaba revelando que o jogo é real e que eles devem seguir as regras se não quiserem morrer.

Quando voltam para os Estados Unidos, os amigos acabam sendo atormentados por uma força que exige que eles joguem o Verdade ou Desafio. Se você escolher verdade, ele te faz contar um segredo, por mais desconfortável que seja. Se você escolher desafio, você precisa realizar o que o jogo te pede. Se negar? Morre de uma forma brutal. Resta então aos sobreviventes investigarem como parar o jogo antes que todos morram.


Confesso que a princípio, eu notei potencial no filme ser um terror divertido à lá Premonição. Mas isso é quase que impossível em uma produção cujo roteiro inclui mortes brutais mas as cenas não possuem um pingo de sangue. Tudo isso devido à intenção pretensiosa de fazer um terror light, PG-13, para conseguir uma classificação branda e poder lucrar mais nas bilheterias para a atenção do público jovem.

Em alguns momentos, o roteiro chega a ser interessante. Seja pelos conflitos entre os personagens ou seja pela dinâmica violenta do jogo. Os atores em si não estão ruins em cena - destaques vão para Lucy Hale e Violett Beane. Mas o que falta em Verdade ou Desafio é a ousadia. Ou melhor, é o interesse. A sensação que dá é que desde o primeiro minuto de escrita, o roteiro foi desinteressado em fazer algo realmente bom. Tá no piloto automático, é totalmente formuláico e sem muita inspiração. É como se eles pensassem "não precisamos se esforçar, vão pagar pra ver do mesmo jeito!".


O longa não funciona nem para assustar e nem para divertir, por mais que esta segunda opção seja a coisa mais próxima do que ele estava tentando chegar. Por mais que os atores se esforcem, não há muita coisa pra trabalhar. Como falei, há algumas coisas interessantes nos dilemas dos personagens, principalmente entre a Olivia e Markie, uma relação estranha e cheia de segredos que logo serão revelados com o passar do jogo. Mas apesar disso, nada em relação aos outros personagens é realmente aproveitado, resultando em personagens carismáticos pelos atores mas apáticos devido ao trabalho preguiçoso do roteiro.

Há também a inclusão do efeito brochante que as pessoas sob influência do jogo assumem, uma distorção mais engraçada do que assustadora que remete àqueles efeitos do aplicativo Snapchat. A coisa é tão ridícula que até o próprio roteiro brinca com isso em uma cena.


O que realmente irrita mesmo em Verdade ou Desafio é que tinha sim potencial para ser muito mais. Ser mais divertido, ser mais assustador, ser mais violento, ser mais. O resultado final é uma massa repleta de clichês, já visto e realizado de forma em melhor em outras produções, que apenas soa bobo e sem um perigo realmente ameaçador. O desfecho não ajuda por ser uma versão atualizada do final de outro filme bem famoso que obviamente não vou citar mas só preciso dizer que envolve uma branquelinha que caiu no poço. Quer ver um terror bem divertido e bacanudo nos cinemas? Espera umas semanas e assista Os Estranhos: Caçada Noturna que estreia dia 31!
poster
ficha técnica
Título Original: Truth or Dare
Ano: 2018 • Duração: 100 minutos
Direção: Jeff Wadlow
Roteiro: Jeff Wadlow, Chris Roach
Elenco: Lucy Hale, Tyler Posey, Violett Beane, Hayden Setzo, Nolan Gerard Funk
Sinopse: Em férias no México, uma jovem é levada a jogar "Verdade ou Desafio". O problema é que o jogo não acaba e a segue ao retornar para casa. Algo, ou alguém, começa a punir aqueles que mentem - ou se recusam a desafiar.

4 comentários:

  1. Anônimo5/02/2018

    Que mania de detonar filme bom, ainda bem que é questão de gosto.

    ResponderExcluir
  2. Pelo trailler pareceu ser uma bomba, mas vou assistir mesmo assim!

    ResponderExcluir
  3. Anônimo5/06/2018

    o filme não foi um fracasso de bilheteria, muito pelo contrário. já fez 48 milhões, com um orçamento de apenas 3,5; então tá é bem kkk. mas concordo que foi feito só pra lucrar mesmo, o trailer já deixava isso aparente.

    ResponderExcluir
  4. Meus Deus,Os Estranhos 2 que ja saiu na net é muito pior

    ResponderExcluir