De Fã para Fã #Está Tudo Virando Série - Sessão do Medo

3 de julho de 2018

De Fã para Fã #Está Tudo Virando Série


E aí pessoal, voltei com esse tema para tratar de um caso que tem consumindo Hollywood gradativamente. Bem, como o título sugere, estou falando da conversão de franquias em séries de TV. Achei interessante falar sobre isso porque é algo não tão recente, mas que tem aparecido muito nos últimos anos. Algumas séries que eu mencionar podem ter criticas sobre elas, caso queiram saber um pouco mais sobre elas, é só clicar nos links em destaque. 

Particularmente, eu não gosto muito da ideia, para mim, alguns filmes devem continuar com os filmes porque séries exigem disponibilidade de tempo para assistir, e quando o assunto é franquias que eu gosto muito, prefiro ver aquele filme do que passar dez episódios assistindo a uma temporada. Na minha opinião, fazer uma série de algo pré estabelecido num filme, é muito arriscado por vários motivos, entre eles: A série pode mudar o que já conhecemos, pode ser cansativo por estender uma história que não precisa ser estendida, a ganância das empresas podem usar as séries como recurso de retorno financeiro até a exaustão, daí uma série que devia ter duas temporadas, tem dez. Não que isso não aconteça com os filmes, mas com as séries é algo bem mais fácil de notar. O fato é, enquanto estiver dando lucro, ela vai continuar, e eu vejo essas conversões de franquias em série como uma forma de capturar mais dinheiro uma vez que elas são longas e podem se ajustar mais facilmente ao público e dar retorno financeiro às empresas em larga escala, assim como, se não derem o resultado esperado, puff, são canceladas sem mais nem menos, algumas vezes não concluindo o arco da série.

Eu não tenho problemas com séries, inclusive, tem muitas que adoro, mas acho que Hollywood está exagerando na dose ao querer transformar tudo que é lucro em potencial em série.
Não me entendam mal, eu gosto de muita coisa: Bates Motel, Ash X Evil Dead, Scream The Series. Mas, é o que disse acima, uma série pode mudar algo pre estabelecido num filme. Em Bates Motel, por exemplo, é uma série que contou em cinco temporadas o que poderia ter feito em três. Em Ash X Evil Dead, essa franquia inteira, apesar de divertida, é uma confusão. Evil Dead 2 ignora o ocorrido no primeiro filme, mas continua de onde ele parou, e a série ignora Army of Darkness, sem contar a personalidade de Ash que é uma bagunça total. E Scream, apesar de ser uma série legal, é algo independente da quadrilogia estrelada por Neve Campbell, mantendo apenas algumas referências e formas de como o assassino opera, aliás, nem o Ghostface é o assassino aqui, mas sim o BrandoFace, isso tudo além do fato da série ser renovada numa espécie de reboot sem ter dado uma conclusão para a trama de Emma Duval e seus amigos, assim como também nunca saberemos quem é o BrandonFace.

Antes mesmo dessas obras, já tínhamos algumas séries como 'A Hora do Pesadelo', teve uma série com duas temporadas mostrando, a cada episódio, uma história que nem sempre está relacionada com o sociopata dos sonhos. Entre alguns dos episódios temos o julgamento do Freddy, sua morte e algumas de suas vítimas.

Entre as várias franquias que tiveram uma 'continuação' em forma de série, podemos citar:

Exterminador do Futuro: As Crônicas de Sarah Connor. 

Uma série que mostra a luta de Sarah Connor para criar o seu filho pós Exterminador do Futuro 2. Ela até que era legal, mas na segunda temporada perdeu  o foco, e devido a baixa audiência acabou sendo cancelada sem uma conclusão, deixando os fãs loucos de raiva. A série termina com um gancho enorme para a terceira temporada que nunca veio, e por essa inconclusão, é mais fácil fingir que ela não existe. No elenco estavam: Lena Headey, Thomas Dekker, Summer Glau, Brian Austin Green. 

Sinopse: Querendo respostas sobre a volta dos exterminadores em suas vidas, Sarah e John decidem parar de fugir e deter o criador da Skynet. Eles são auxiliados por Derek, tio de John, e Cameron, uma exterminadora que se passa por irmã de John, tem como missão protegê-lo. Entretanto, o agente James Ellison procura a família Connor com a convicção de que Sarah está louca. Com o desenrolar da trama, eles precisam evitar que a Skynet seja criada por Catherine Weaver, uma T-1001 infiltrada em uma empresa de alta tecnologia. Depois eles vem a descobrir que Weaver estava ajudando a criar ciborgues que irão ajudar John Connor, no futuro.

Hannibal.

Essa série aqui é boa, é bem pequena, tem apenas três temporadas com treze episódios cada uma. Mas vale dizer dizer que ela só é pequena assim porque foi cancelada devido a baixa audiência.  

No elenco temos: Mads Mikkelsen, Hugh Dancy, Laurence Fishburne, Caroline Dhavernas e Gillian Anderson.

Sinopse: Will Graham é um professor e agente especial do FBI que possui a incrível habilidade de reconstruir cenas de crimes em sua mente. Tirado da sala de aula pelo agente Jack Crawford, ele se vê encarregado de uma grande missão, que o colocará cara a cara com Dr. Hannibal Lecter, seu pior e mais novo aliado.

Abaixo segue a crítica que temos da franquia:

Hannibal: A Origem do Mal.

Um Drink no Inferno.

Essa aqui, preciso admitir que ainda não assisti, no entanto está dentro do gênero, inclusive andei vendo muitas opiniões diferentes a respeito dela, enquanto alguns dizem que ela é boa, mas fica ruim na segunda temporada, outros dizem que ela só melhora a partir da segunda. Apesar disso, ela foi produzida com a ajuda de Robert Rodriguez, tem três temporadas e integram no elenco: D.J. Cotrona, Zane Holtz, Eiza González e Jesse Garcia.

Sinopse: O ladrão de bancos Seth Gecko (D.J. Cotrona) e seu imprevisível e violento irmão, Richard "Richie" Gecko (Zane Holtz), são procurados pelo FBI e pelos Texas Rangers, a força policial do estado do Texas. Em fuga para o México, eles encontram o ex-ministro Jacob Fuller (Robert Patrick) e sua família, e os fazem de reféns. Em posse do trailer dos Fuller, eles cruzam a fronteira e deparam com o caos quando entram em um clube de strip-tease onde coisas estranhas acontecem. Agora eles são forçados a lutar até o amanhecer para poderem sair de lá vivos.

O Exorcista.

Para a criação dessa série, foi muita coragem porque seria basicamente um spin-off do filme mais assustador da história. Na série percebi uma certa instabilidade, alguns episódios são bons, e outros são fracos com efeitos bem meia boca. Apesar disso, a série trouxe algumas coisas interessantes para esse universo.

No elenco temos o y soy rebelde  Afonso Herrera, Ben Daniels, Hannah Kasulka e AlanRuck.

Sinopse: Dois homens muito diferentes dirigem seus esforços a um caso terrível de possessão demoníaca numa família local, e se vêem cara a cara com o mal verdadeiro. Um deles é o padre Thomas Ortega (Alfonso Herrera), um homem progressista e compassivo que lidera uma paróquia pequena nos arredores de Chicago. Angela Rance (Geena Davis), a matriarca de uma das famílias do rebanho de Thomas, pede sua ajuda para lidar com a entidade que está dominando a sua casa, lhe dando pesadelos recorrentes, fazendo barulhos dentro das paredes para assustar Casey (Hannah Kasulka), sua filha mais nova, transformando a mais velha, Katherine (Brianne Howey) numa ermitã que não quer sair do quarto, e fazendo com que seu marido Henry (Alan Ruck) enlouqueça lentamente. Thomas se encontra então com Marcus Brennan (Ben Daniels), um templário moderno, treinado a vida inteira para ser implacável em sua luta contra o mal. Os dois precisam se unir para completar o desafio que nenhum dos dois conseguiria completar sozinho.

Abaixo segue as críticas de alguns filmes da franquia e das temporadas.

O Exorcista.
Exorcista: O Inicio.
O Exorcista: Temporada 1.
O Exorcista: Temporada 2. 

Uma Noite de Crime.

Eu acho essa franquia curiosa, os seus filmes, principalmente o terceiro, foca em assuntos atuais, e foi lançado numa época de muita confusão política nos Estados Unidos, onde o governo de Trump fora apelidado de 'The Purge', e o quarto filme vai estrear HOJE (4 de Julho) nos cinemas americanos. Eu gosto muito da trilogia, mas ao mesmo tempo é difícil imaginar como vai ser a série de TV: "A série é necessária ou só querem arranjar mais uma forma de lucrar mais encima da franquia?", isso só saberemos quando a assistirmos.
  
Sinopse: Segundo o chefe da Blumhouse, Jason Blum, o spin-off “revelará aos fãs o que acontece nos demais 364 dias do ano e de que forma a lei afeta a vida das pessoas”.

O primeiro episódio deve estrear no dia 4 de setembro nos Estados Unidos.

Temos um artigo e críticas dos filmes para vê-los, é só clicar abaixo:
Uma Noite de Crime.
Uma Noite de Crime: Anarquia.
Uma Noite de Crime:O Ano da Eleição.
Expurgo.

O Brinquedo Assassino.

Com o decepcionante 'Cult of Chucky' de 2017, eda recente notícia de que a franquia terá um remake. Ainda não sabemos muito sobre essa série que acabou de ser anunciada pelo criador da franquia que postou um gif em seu twitter, anunciando Child's Play: The TV Series.

Sinopse: Tudo o que se sabe a respeito é que a trama da série não será um reboot mas sim uma sequência, que está planejada para ser dividida em oito episódios de uma hora cada. No entanto, isso não quer dizer que o Chucky não retornará em outros filmes.

Brad Dourif voltará a dublar o brinquedo assassino, mas não há mais notícias de quem estará no elenco ou qual será a história oficial. É certo dizer que a franquia 'Child's Play' se tornou algo de família, os filmes são feitos mais por diversão do que por obrigação.
O Nevoeiro.

Me julguem, mas eu gostei da série hahaha... Eu revi ela esses dias e reparei mais nos detalhes, os efeitos não são bons e a história tem muitos problemas sim e o terror não funciona, mas apesar disso, achei legal, e nem eu consigo explicar ao certo o porquê, acho que é aquele caso de 'É ruim, mas eu gosto'. Enfim, o caso é que trata-se de uma série/reboot que não tem nada a ver com o excelente filme de 2007, e essa série foi cancelada, também deixando um gancho enorme para uma segunda season que nunca aconteceu.

Sinopse: Uma névoa misteriosa envolve lentamente a cidade de Bridgton, no Maine, criando uma barreira de visibilidade quase impenetrável. Os moradores da cidade logo percebem que situação é ainda mais precária quando descobrem que, escondido dentro da névoa, existem numerosos monstros de vários tamanhos que atacam e matam qualquer coisa que se mova.

Abaixo segue as críticas da série e do filme.
O Nevoeiro.
O Nevoeiro: A Série.
Alien.

O mais novo boato que está rolando por aí. Segundo o site Omega Underground. Uma série ambientada no mesmo universo da franquia, está sendo considerada.

Em 2019, Alien completará 40 anos. Ridley Scott, apesar de ter planos para uma continuação do sonífero 'Alien Covenant', ele está envolvido em outros projetos. Para quem não sabe, antes mesmo de Ridley Scott tomar a decisão de fazer prequels de Alien, o diretor Neill Blomkamp estava desenvolvendo um projeto que continuaria a franquia de onde 'Aliens O Resgate' havia parado, ignorando as tramas do 'Alien 3' e o 'Alien Ressurreição'. O longa se chamaria 'Alien 5' e teria também o retorno de Ripley (Sigourney Weaver) e Hicks (Michael Biehn), porém, o projeto nunca aconteceu e Scott decidiu seguir o caminho com 'Prometheus' e 'Alien Covenant'.

O mais provável é que algo sobre esse novo projeto seja revelado nos próximos meses, vamos ficar atentos às notícias.

Abaixo segue as críticas com os filmes da franquia Alien:

Alien.
Aliens: O Resgate.
Alien 3.
Alien: Ressurreição.
Prometheus.
Alien Covenant.

A verdade é que tudo realmente está virando série de TV, aqui eu listei apenas alguns relacionados ao gênero terror, mas também existem outros filmes fora desse ambiente que estão ganhando séries como por exemplo: Dear White People, uma série baseada no filme 'O Senhor dos Anéis',  'Impulse' uma série baseada no filme 'Jumper' (2008), entre muitos outros.

Para mim, devia existir uma regra geral para a criação de séries baseadas em filmes. A empresa que se arriscasse, seria obrigada a concluir com a história da série mesmo se desse prejuízo ou baixa audiência, porque o que não pode, é deixar os fãs a ver navios com histórias sem noção e/ou sem conclusão com produtos criados unicamente para tirar mais dinheiro dos fãs.

De tudo isso exposto acima, gostaria de saber qual é a opinião de vocês. O que vocês acham sobre essa ideia de expandir os filmes para versões em séries? Lembrando que as opiniões são bem pessoais e devem sempre ser respeitadas.   


Nenhum comentário:

Postar um comentário