Crítica: Carnossauro 2 (1995) - Sessão do Medo

11 de agosto de 2018

Crítica: Carnossauro 2 (1995)


Dando sequência a série de franquias, vamos continuar com os dinossauros assassinos. O primeiro Carnossauro teve um orçamento de aproximadamente 142 mil dólares, e obteve um lucro de um pouco mais de 1,7 milhão de dólares. Não foi um lucro muito grande, mas foi o suficiente para garantir uma sequência, é aí que em 1995 é lançado ‘Carnossauro 2’ com Louis Morneau (Envolvido em filmes como “A Morte Pede Carona 2” e “perseguição 2 O Resgate”) na direção. 

O filme já começa mostrando que Carnossauros ainda estão vivos após os eventos do filme anterior. Simplesmente, os monstros começam a atacar um grupo de trabalhadores de uma unidade militar secreta localizado na montanha Yuka. Durante o ataque, Jesse (Ryan Thomas Johnson) é o único sobrevivente. É uma introdução básica e que não mostra muita coisa. 

Sem contato com os trabalhadores na base militar, Tom McQuade (Cliff De Young de ‘Jovens Bruxas’) contrata um grupo liderado por Ben Kahane (Don Stroud de ‘Terror em Amityville), para ir até o local e descobrir o que está acontecendo. 
Ao chegarem na região, eles se deparam com um complexo deserto onde a única pessoa viva é Jesse que está em estado de choque. Enquanto o grupo quer sair do local, o contratante da equipe quer que a base volte a funcionar. Durante a exploração pela localidade, o grupo vai sendo atacado um por um pelas criaturas. Na medida em eles procuram um jeito de sair dali antes que a base exploda, os carnossauros vão se alimentando dos militares no velho estilo 'luta pela sobrevivência'. 

McQuade esclarece de forma superficial a relação dos carnossauros do original com esse capítulo. Pelo que parece, alguns dinos conseguiram fugir da cidade e começaram a se procriar, os cientistas da região pegaram os ovos e colocaram numa câmara de resfriamento, mas os ovos chocaram e os animais ficaram livres. 

Daí já temos a nossa história, na verdade a trama lembra bastante ’Aliens O Resgate’ só que com carnossauros que mais parecem raptores, e com baixo orçamento. Você pode notar isso nas semelhanças do roteiro como: Um jovem que sobreviveu sozinho num local atacado pelos monstros, um grupo de militares que vai ao local descobrir o que aconteceu, a morte de alguns personagens, até mesmo a batalha final do herói usando uma empilhadeira para lutar contra o carnossauro adulto. 
‘Carnossauro 2’ é menos gore que o original, mas a história é um pouco melhor, e mesmo assim é absurda e exagerada. Ainda temos cenas bem grotescas envolvendo a morte de alguns membros do grupo. A trilha sonora não é lá essas coisas, mas é hilário quando ela brinca tocando a ‘Marcha Imperial’ de Star Wars, e as atuações, embora não seja das melhores, está na média. 

O elenco está básico, mas o relacionamento de empatia que o roteiro tenta criar entre o público e os personagens, é forçado. Não dá para engolir a proteção paterna súbita que Jack Reed (John Savage de ‘A Casa da Morte’) tem por Jesse. E Monk (Rick Dean de ‘O Bebê maldito’) é o personagem mais exagerado do filme que vive fazendo caras, bocas e poses muito estranhas durante a projeção. Então, de forma geral, vocês podem esperar uma boa e rápida diversão trash já que o filme tem apenas 82 minutos,mas se você quiser ver um filme bom mesmo, vá ver 'Jurassic Park'! 

Nota: 5,5.
FICHA TÉCNICA

Título Original: Carnosaur 2. 

Título Brasileiro: Carnossauro 2. 

Diretor: Louis Morneau. 

Roteiro: Michael Palmer. 

Elenco: John Savage (Jack Reed), Cliff De Young (Maj. Tom McQuade), Don Stroud (Ben Kahane), Rick Dean ('Monk' Brody), Ryan Thomas Johnson (Jesse Turner), Arabella Holzbog (Sarah Rawlins), Miguel A. Núñez Jr. (Ed Moses), Neith Hunter ( Joanne Galloway). 

Sinopse: Esquadrão especial do exército é enviado pra investigar um estranho acidente ocorrido numa base militar subterrânea. Chegando ao local, encontram todos mortos, e descobrem que o local está povoado por dinossauros - o resultado de uma terrível experiência genética.

Nenhum comentário:

Postar um comentário