Crítica: Carnossauro 3 – O Monstro Destruidor (1996) - Sessão do Medo

11 de agosto de 2018

Crítica: Carnossauro 3 – O Monstro Destruidor (1996)



E chegamos à terceira parte dessa franquia b, terminando a trilogia oficial da saga 'Carnossauro'. O filme também foi chamado no Brasil de ‘Criaturas do Terror’. Ele foi dirigido por Jonathan Winfrey e roteirizado por Rob Kerchner. 

O filme começa com um ataque de um grupo terrorista a uma equipe do exército que estava na estrada fazendo o transporte de algum produto sigiloso e importante, os terroristas roubam os veículos, incluindo caminhões que eles achavam ter urânio. Enquanto isso, em uma região não muito longe dali, um grupo de elite do exercito faz treinamento antiterrorista. 

Ao abrirem a parte de trás do caminhão num depósito, os terroristas se deparam com carnossauros adormecidos que logo despertam e começam um novo massacre, apenas um rapaz consegue sobreviver e avisa a polícia do ocorrido. 

Logo que ficam sabendo do desaparecimento do veículo, o general Pete Mercer (Anthony Peck), convoca o coronel Rance Higgins (Scott Valentine), que treinava, e sua equipe para rastrear o material nível 4. E as mortes vão acontecendo à medida uma turma de policiais desavisados vão até o depósito investigar o que está acontecendo ali. 

Quando a equipe de Higgins chega ao depósito com seu grupo, se deparam com um banho de sangue, e não demora a verem o quão ameaçador é aquilo que estão enfrentando.


Higgins volta à base para pedir por esclarecimentos após o ataque no galpão, lá a Dr. Hodges (Janet Gunn) explica que o DNA dos carnossauros pode ajudar a arranjar curas para uma série de doenças, mas para isso é preciso que as criaturas sejam capturadas vivas. A grande novidade desse longa é a presença de dois raptores e de um T-rex que também fazem parte das pesquisas da Dr. Hodges e que foram extraviados pelos terroristas. 
O trio sobrevivente do primeiro ataque, Higgins, Polchek (Rick Dean) e Sanders (Rodger Halston), voltam ao local para cumprir a missão. Na região, eles se juntam a outra equipe enviada por Mercer para ajudara capturar as criaturas vivas. E a partir daqui é só baboseira, temos muita conversa, cenas aleatórias para preencher o filme e muitos diálogos que não levam a lugar algum, além das brincadeiras sem graça feitas pelos militares piadistas.

Admito que tive que me segurar para conseguir assistir até o final, se eu pulasse o meio do filme e fosse direto para o final, não teria perdido nada. O t-rex e os Raptores foram jogados na trama sem qualquer finalidade ou motivo, estão ali e pronto, temos só que engolir isso. A trilha sonora não tem nada demais e o elenco continua no modo básico. No geral, é um filme cansativo que mostrou como a franquia está desgastada, nem o gore que tinha nos dois primeiros tem aqui, definitivamente esse foi o ponto mais baixo dos carnossauros. Nota: 3,5. 







Curiosidades: 

Há uma cena no filme em que um soldado, ao ver partes de corpo humano espalhados pelo galpão, diz: “Isto aqui está parecendo um pesadelo de sexta-feira 13”. 

Rick Dean, interpretou Monk em Carnossauro 2, volta a trabalhar em Carnossauro 3, dessa vez no papel de Polchek. 

FICHA TÉCNICA 



Título Original: Carnosaur 3: Primal Species.

Título Brasileiro: Carnossaur 3: O Monstro Destruidor / Criaturas do Terror. 

Diretor: Jonathan Winfrey. 

Roteiro: Rob Kerchner. 

Elenco: Scott Valentine (Rance Higgins), Janet Gunn (Dr. Hodges), Rick Dean (Polchek), Anthony Peck (Pete Mercer), Rodger Halston (Sanders), Terri J. Vaughn (B.T. Coolidge), Billy Burnette (Furguson), Morgan Englund ( Rossi), Stephen Lee (Sergeant). 

Sinopse: Terroristas que tentam tomar posse de mina de urânio libertam, acidentalmente, criaturas pré-históricas geradas pela engenharia genética para uso como arma de guerra. Cabe a um grupo anti-terrorismo a tarefa de aniquilar os perigosos dinossauros antes que eles cheguem a zonas habitadas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário