[Top 10] Piores de 2018 - Sessão do Medo

30 de dezembro de 2018

[Top 10] Piores de 2018


Que 2018 foi um ano generoso pro terror, todos sabemos disso. Na nossa lista de Melhores do Ano, apontamos que foi um pouco difícil escolher apenas uma dezena de produções que se destacaram no ano, mas é claro que temos nosso histórico de bombas. Entre freiras demoníacas e filmes picotados na sala de edição, o ano teve sua cota de desapontamentos e desgostos. Então confira nossa lista dos 10 piores do ano abaixo.

Vamos lá!


10 - The Cloverfield Paradox (de Julius Onah)

De todas as decepções do ano, a maior. Após o sucesso estrondoso de Rua Cloverfield, 10 (2016), todos estavam ansiosos para ver qual era o próximo passo da franquia Cloverfield, apadrinhada pelo J.J. Abrams. Acontece que nem a Paramount tava botando fé nesse terceiro capítulo e acabou vendendo o filme para a Netflix, que o lançou de surpresa em Fevereiro. Com um péssimo roteiro, atuações pavorosas e uma embolação enorme, The Cloverfield Paradox era tudo que os fãs não queriam e acabou sendo um balde de água fria, mesmo que responda algumas questões do universo montado até então.


9 - A Primeira Noite de Crime (de Gerard McMurray)

A decisão de fazer um filme sobre o primeiro Expurgo não é ruim. Inserir um comentário sociopolítico no roteiro não é ruim. Ruim mesmo foi a execução desse plano. O pessoal tinha a faca e o queijo na mão mas decidiram mirar num filme mediano (e nem conseguiram por que fica abaixo da média), com personagens caricatos e desinteressantes e uma trama de filme de ação B. Uma chatice só.


8 - Sobrenatural - A Última Chave (de Adam Robitel)

Parece que esse foi o ano para franquias cansadas lançarem seus capítulos mais defeituosos. A trilogia Insidious estava fechadinha mas é claro que não vão deixar a pobre da Elise (Lin Shaye) descansar e esse quarto capítulo promete explorar o passado da medium e sua infância problemática. O negócio é que a essa altura, os filmes já seguem uma certa fórmula e o pequeno esforço de tentar sair da caixa e explorar O Distante é simplesmente tedioso e esquecível.



7 - Verdade ou Desafio (de Jeff Wadlow)

Já era um desastre anunciado. A aposta da Blumhouse em um terror PG-13 era uma tentativa de ganhar dinheiro rápido, colocando uma faixa etária baixa e um elenco teen pra atrair a moçada pros cinemas de shopping. É claro que funcionou, pois o filme arrecadou quase $100 milhões de dólares. Mas é um filme bastante idiota e sem muitos atrativos. Quase uma comédia, se você levar em consideração o efeito ridículo de Snapchat que colocaram no pessoal nas cenas de "terror".


6 - A Maldição da Casa Winchester (de Michael e Peter Spierig)

Outra chacota que fizeram questão de lançar nos cinemas nacionais enquanto outros filmes só chegam até nós através da pirataria. A dama Hellen Mirren (que venceu o Oscar interpretando a Rainha da Inglaterra) estava desesperada para fazer algumas reformas na sua casa para ter aceitado participar desse filme, um terror genérico desapontante que tenta adaptar a história de uma das mais famosas casas mal-assombradas da história. O potencial de explorar a mansão com quartos escondidos, corredores sem-saída e tudo que há de mais bizarro é totalmente desperdiçado.



5 - A Freira (de Corin Hardy)

Aproveitando todo o hype deixado pela personagem em Invocação do Mal 2 (2016), a New Line e a cambada do James Wan resolveu dar um filme próprio para a Freira Valak, que por si só era na verdade uma das manifestações do demônio. Claro que eles conseguiram um jeito de dar sentido à existência do spin-off, amarrando todas as pontinhas soltas, mas não salva o filme da mediocridade ao usar e abusar de sustos que podem ser previstos a quilômetros de distância e zero ambientação.


4 - Vende-se Esta Casa (de Matt Angel e Suzanne Coote)

Essa bomba aqui é tão ruim que já foi esquecida. O fato de ter sido lançada no comecinho do ano tem seu peso aqui, mas enfim. A produção independente da Netflix é uma forma pífia de forçar um suspense que em momentos parece sobrenatural e em outros brinca com o home invasion. O roteiro é muito chato e não consegue criar tensão. Para tentar compensar isso, tenta chocar no final, mas só deixa a experiência ainda mais frustrante.


3 - Os Esquecidos (de Luciano e Nicolás Onetti)

Uma produção argentina que tinha tudo para ser uma ótima adição ao subgênero do slasher mas é na verdade uma grande gororoba azeda de alguns dos exemplares mais conhecidos. Pegue O Massacre da Serra Elétrica (1974), Quadrilha de Sádicos (1977), Wolf Creek (2005) e qualquer outro filme de terror que ponha jovens em uma região inóspita e calorenta para morrerem um a um e o resultado é esse filme. Uma pena!


2 - Slender Man: Pesadelo Sem Rosto (de Sylvain White)

Olha, esse daqui é intragável. Um filme com produção extremamente problemática, a versão que chegou até nós é bem diferente da que eles filmaram. Foram tantas alterações, regravações, cenas cortadas, que o trailer parece ser de uma obra completamente diferente. Não é o primeiro filme que sofre com isso e nem vai ser o último, mas se fosse pra fazer algo dessa maneira, que pelo menos lançassem direto em DVD pra poupar o público de gastar dinheiro com essas coisas. Cinema anda caro.


1 - Dia dos Mortos (de Héctor Hernández Vicens)

O segundo remake do clássico de George A. Romero conseguiu a façanha de ser ainda pior do que o primeiro feito em 2008 - o que pensava-se ser impossível. É um filme genuinamente ruim, não tem o teor crítico do original nem tampouco serve como diversão por que tudo é uma atrocidade. A nova versão do icônico zumbi racional Bub é um tipo de Coringa morto-vivo que faz parkour e sente um ciúme doentio da protagonista. Na boa, só queimando mesmo...


Leia também:

Top 10: Melhores filmes de 2018

10 filmes de terror para esperar em 2019

10 filmes de terror para ver nas férias!

Nenhum comentário:

Postar um comentário