Crítica: Fenômenos Paranormais 2 (2012) - Sessão do Medo

29 de outubro de 2012

Crítica: Fenômenos Paranormais 2 (2012)


Grave Encounters que no Brasil foi lançado como Fenômenos Paranormais fez um sucesso considerável lá fora e ganhou uma continuação que já está sendo exibido nos cinemas americanos. Confesso que gostei do primeiro, mesmo sendo um desses filmes de falso documentários que eu e você estamos cheios de assistir. O primeiro é aquele tipo de filme que você pode ver com os amigos, tomando umas cervejas e se divertindo, mesmo que não vá fazer parte da sua coleção ou favoritos. É um filme que entretém e até diverte, sem compromisso. Quando saiu o primeiro trailer eu fiquei confiante que a continuação seria ao menos divertida e que poderia superar o primeiro que já não era grande coisa. Mermão, vou te contar, o sujeito que criou o tal trailer merece os parabéns, conseguiu enganar direitinho e esconder a grande cagada que é essa continuação.



O filme começa com uma montagem de vários videos reais do Youtube, onde os internautas comentam o primeiro filme, mostrando DVDs e falando sobre o filme (Documentário). Em um dos videos, um tal de Alex comenta que o primeiro filme teve um dos piores finais que já viu na vida. Referencia ao enorme furo de roteiro no desfecho do primeiro filme. Depois que o titulo aparece na tela corta para um sujeito chamado Trevor em uma festa de dia das bruxas, gravando tudo com o celular, incluindo duas calouras gostosinhas se beijando na melhor cena do filme. Mais tarde o tal Alex se junta a Trevor na festa, criticando os filmes de terror atuais e dizendo pra todos ali que ele ia ser o novo Craven ou Carpenter dessa geração. Alex é um aspirante a cineasta que promete redefinir o gênero terror com seus filmes independentes, só que o cara não tem muita sorte já que ninguém leva o trabalho dele a sério. Depois de receber uns E-mails desconhecidos de um usuário chamado "Dead Waits" relacionados a Sean Rogers (Lance Preston, nome alterado na continuação) apresentador do programa Grave Encounters ele decide visitar a Mãe do cara e descobre que ele está desaparecido de verdade. Alex começa a ficar obcecado e tenta descobrir o paradeiro dele e descobrir se Grave Encounters era real...




Essa continuação tira sarro dela mesma, em várias cenas alguém critica o primeiro filme, até mesmo o protagonista fala mal. Ao pesquisar mais sobre o programa, eles encontram o produtor do programa, aquele sujeito que abriu o primeiro filme, falando que tudo era real, lembra? Quando é perguntado sobre o programa ele comenta: "Tudo aquilo é real, exceto por aqueles efeitos especiais baratos, nós fizemos aquilo!". Quando se tem um filme que se auto critica, já dá pra se ter uma noção da cagada que vai ser. O desfecho do primeiro tinha um enorme furo de roteiro. Já que ninguém conseguiu sair quem achou as fitas que foram gravadas ali dentro? A continuação ao em vez de tapar o buraco deixado no final do primeiro, acaba piorando ao revelar que os eventos do primeiro aconteceram em 2002, 9 anos antes desse segundo que se passa no final de 2011.




Depois de receber um outro E-mail com o endereço do hospício abandonado do primeiro filme, Alex decide levar Trevor, Jared e colegas Jennifer Parker e Tessa Hamill para filmar outro documentário dentro do hospício. Cada um leva sua câmeras, e juntos eles  gravam tudo que acontece lá dentro...


Alguém lembra daquela ideia de A Bruxa de Blair 2: O Livro das Sombras, onde o filme se passa "fora" do primeiro filme? Pois é, a mesma ideia é usada nesse continuação, só que nesse caiu muito mal. É estranhão ver os personagens com DVD do primeiro filme na mão e falando sobre o filme, pra minutos depois cortar pra cena em que vemos o mesmo cenário, os mesmos espíritos e o mesmo personagem do primeiro.


Não dá pra gostar de nenhum dos personagens, principalmente o protagonista que é uma cópia fiel do Felipe Neto, aquele Zé Ruela chato do Youtube. O resto do grupo só tão ali pra morrer e é até difícil saber quem é quem no meio de tanta escuridão e tremedeira. Assim como no já comentado Greystone Park o grupo está ali procurando fantasmas e acham, então eles que se fodam, né não?!



Tem algumas cenas bacanas que lembram os jogos da série Silent Hill, como aquela que o grupo acham uma criança numa sala escura cantando, de resto é tudo o que foi visto no filme anterior, fantasmas com distorção na cara, visão noturna, correria em corredores longos e escuros e essas merdas todas.

O roteiro consegue ser mais mal escrito e com mais furos que o primeiro. Como o personagem Lance sobreviveu por 9 anos ali dentro sem comida? Tinha estoque de ratos? Como a filmagem do primeiro filme foi encontrada, já que o sujeito não tirou o pé dali? Quem mandou os e-mails já que ali não tem sinal?


O filme tem apenas uma cena de terror digna, mas ela é rápida e acaba de forma inesperada e sem graça. Os efeitos especiais continuam marcando presença, um pouco melhores que o primeiro, mas ainda assim longe de ser um primor.



Fenômenos Paranormais 2 segue aquela linha de continuações que são tão ruins que acaba sujando o primeiro filme, que nesse caso já não era grande coisa, mas ao menos divertia, esse aqui nem isso consegue.

Postado por: Marcelo