Crítica: A Aparição (2012) - Sessão do Medo

14 de novembro de 2012

Crítica: A Aparição (2012)


A falta de criatividade em Hollywood rendeu mais um capitulo, ou melhor mais um filme, que dessa vez não é um remake, mas uma cópia de tudo que andou saindo ultimamente no cinema de terror. O tal A Aparição nova produção da produtora Dark Castle, responsável por vários filmes medianos como A Casa da Colina, 13 Fantasmas, Navio Fantasma, Colinas de Sangue. Depois da fraca bilheteria (a pior da produtora) o filme que iria sair por aqui esse mês teve a estreia cancelada nos cinemas Brasileiros, depois de assistir você descobre o motivo do tal cancelamento. O filme é muito fraco, sem graça e nem um pouco criativo.


A Apariçãocomeça mostrando um grupo de amigos da faculdade fazendo um experimento cientifico, tentando provar que fenômenos paranormais são causados pela mente humana, uma das moças do grupo (a gostosa Juliana Guill, a loirinha safada do remake de Sexta-Feira 13) é jogada para o teto onde desaparece. Corta para outra cena e o filme segue o casal Kelly e Ben que moram juntos em uma casa e vivem vidas normais até coisas estanhas acontecerem. Portas se abrindo no meio da noite, barulhos e um estranho mofo que aparece nas paredes da casa. Tal fenômeno parece ter relação com os eventos da primeira cena, algo que só no desenrolar fica claro. A assombração se alimenta da energia de todo ser vivo que tem contato, a única esperança do casal é tentar reverter o quê foi feito e por fim a assombração.

O filme começa bem, o casal tem carisma, mesmo faltando química entre os dois. Sem muita enrolação a assombração já começa lá pelo começo de forma criativa, o suspense funciona, mas quando o filme começa a copiar cenas de Atividade Paranormal lá pela metade o filme cai muito. A ideia principal com aquele lance de mente causando a assombração é criativa, mas não tem destaque nenhum e o roteiro é muito raso e não usa nenhuma ideia de forma certa. A parapsicologia poderia ter tido mais destaque no roteiro, já que no filme é totalmente ignorado em momentos chave.

A falta de criatividade que eu tinha comentado é pelo fato desse filme ser uma batida de vários filmes conhecidos, Pulse com Atividade Paranormal com O Grito com A Chave Mestra. E falando em O Grito, a Kayako faz uma aparição nesse filme em uma rápida cena que também está presente no trailer, se não era a Kayako era um clone. O elenco é composto por atores conhecidos de franquias famosas de adolescentes. A protagonista é vivida pela atriz Ashley Greene, mais conhecida por fazer parte na série Crepúsculo, tem também Tom Felton o Draco Malfoy de Harry Potter, que aqui pouco aparece em cena e o personagem é completamente mal aproveitado. Os sustos são aqueles típicos barulhos surpresa com musica alta, misturado com cenas copiadas de outros filmes. Tem uma que cópia na cara dura uma das melhores cenas de Alma Perdida.


Nem vou me estender falando desse filme, é um filme tão fraco e sem destaque que eu pouco tenho argumento pra comentar. Se você viu o trailer e gostou, pode baixar as expectativas porque o trailer é melhor que o próprio filme. O mais decepcionante é que além do filme ser ruim, o desfecho consegue fechar com chave de ouro a cagada todo que é o filme.

Passem longe, o trailer e o poster chamam a atenção, mas são apenas uma propaganda muito bem feita para esconder a grande cagada que é esse filme. 

Postado por: Marcelo