Crítica: Silent Hill - Revelação (2012) - Sessão do Medo

4 de fevereiro de 2013

Crítica: Silent Hill - Revelação (2012)


Depois de vários problemas de negociação, roteiros e possíveis cancelamentos, a aguardada continuação de Terror em Silent Hill foi finalmente lançada, com roteiro e direção diferentes do primeiro filme. A direção dessa vez a cargo de Michael J. Bassett (de "Solomon Kane – O Caçador de Demônios"). Alguns até chegaram a achar que o filme não seria uma continuação do filme de 2006 e que iria começar a franquia do zero. Felizmente isso não aconteceu, sendo uma continuação direta do primeiro e adaptação fiel do jogo Silent Hill 3.

Com o baixo faturamento do primeiro filme a produção da continuação teve que reduzir os gastos nessa continuação, que custo em torno de R$ 20 milhões, sendo que o primeiro custou quase três vezes mais, num total de R$ 50 Milhões e não passou do custo nas bilheterias. Sendo assim, é incrível que a produção tenha conseguido seguir em frente. Vi todo tipo de comentário negativo na Internet, internautas falando que o filme era ruim, que não era uma boa continuação, que não era uma adaptação fiel ao jogo. Tudo papo furado. Silent Hill Revelação se sai bem como continuação, algo difícil de se ver nesse gênero, e se sai ainda melhor como adaptação do jogo.





A história se passa 8 anos depois do primeiro e mostra Sharon aos 18 anos, agora chamada de Heather vivendo com o Pai Christopher (Sean Bean de Game of Thrones), que também alterou o nome para Harry Manson (O mesmo nome do personagem do jogo) para escaparem da ordem de fanáticos de Silent Hill, que querem que Sharon volte a cidade para destruir a escuridão do local. Sharon não lembra de nada da infância e acha que a Mãe morreu em um acidente de carro, na verdade Rose não conseguiu sair de Silent Hill, mas conseguiu tirar Sharon de lá. Christopher faz de tudo para esconder o passado da filha e protege-la do perigo, mas quando ele é levado pela ordem, Sharon descobre tudo sobre Silent Hill e junto com o amigo Vincent (Kit Harrington, também de Game of Thrones), eles partem para Silent Hill, tendo que enfrentar um verdadeiro inferno.
Esperava muito desse filme e não fiquei decepcionado. Gosto muito do primeiro filme e sou um grande fã dos jogos. Silent Hill Revelação, pode não ser tão bom quanto o primeiro, mas cumpre o quê propõe, sendo uma boa continuação e uma adaptação de jogo acima da média. 
O roteiro é fiel ao jogo, mesmo tendo várias liberdades criativas no enredo e de quebra corrige alguns erros na trama do primeiro filme, introduzindo "a ordem" finalmente de forma correta no filme. Quem conhece a fundo o terceiro jogo vai ter um sorriso estampado no rosto ao ver cenários e momentos idênticos ao jogo, pequenos detalhes como o simples som do caminhar da personagem num local vazio remetem ao terceiro jogo. Adelaide Clemens ficou muito bem caracterizada como Heather e a atriz é bem carismática  mesmo não se destacando tanto como Jodelle Ferland, que por algum motivo estranho foi substituída.

Algumas coisas ficaram bem abaixo do primeiro, a principal é o clima e o visual. Enquanto o primeiro tinha um clima pesado de terror e um visual macabro, escuro e cheio de sombras, Esse não há o mesmo clima e o visual é claro e colorido demais, talvez pelo fato de ter sido feito dessa forma por causa do 3D, algo bem desnecessário e que não faria falta nenhuma.

O elenco composto por Carrie-Anne Moss (Paranóia), Malcolm McDowell (Halloween), Sean Bean (A Morte Pede Carona), Deborah Kara Unger (Terror em Silent Hill) Radha Mitchell (A Epidemia) não tem o destaque merecido. Todos os atores são ótimos, mas nenhum tem uma participação de destaque e relevância no filme, talvez pela duração mais curta e a história corrida. Carrie-Anne Moss (A eterna Trinity de Matrix) tem uma atuação fraca no papel de lider da ordem de fanáticos, não consegue se igualar a Alice Krige, interprete de Christabella no primeiro filme, o resto não tá mal, o problema é a participação de todos que é rápida demais. 


Algo que muita gente comentou é que as criaturas do filme estão ali sem motivo e são apenas acessórios do filme, sem motivo aparente para existir. Outro papo furado, dessa vez é até explicado de forma sutil, o motivo do personagem Pyramit Head existir, mesmo que a concepção do personagem seja diferente do jogo, a ideia é aceitável ao que é proposto no filme. Quem jogou o segundo jogo sabe que as criaturas são criadas pelo inconsciente do personagem principal e isso também é retratado em uma cena em que mostra a personagem Heather sendo perseguida por uma criatura que são vários manequins que formam uma aranha de várias cabeças que é uma manifestação da crise de identidade da protagonista, que passou toda a adolescência mudando de aparência e nome. Um detalhe bem bacana, que só os fãs vão notar!

Como eu tinha comentado o filme é mais curto que o primeiro, isso prejudica um pouco a história que em alguns momentos é muito corrida. A própria cidade já não é mais tão explorada e não tem tanto destaque como no primeiro filme. Em nenhum momento a personagem principal parecia estar perdida, diferente do primeiro onde os personagens exploravam a fundo os locais da cidade. Outra que não tem o destaque merecido é a Dark Alessa, sendo muito mal usada na trama.

Os efeitos especiais estão bons e bem utilizados no filme, mesmo que seja usado menos que o primeiro ele é muito bem usado em várias cenas. Junto com os efeitos especiais de CGI, a maquiagem também é um destaque. Tudo certo, as enfermeiras, o Cabeça de Pirâmide e a personagem que mais parece uma cenobita do Hellraiser.

Destaque para o final com a aparição da escolta ao ônibus de Silent Hill: Dawnpour e o caminhoneiro Travis de Silent Hill: Origins. Se é apenas uma homenagem ou um possível gancho é difícil dizer. infelizmente uma nova continuação pode não sair, já que o filme não foi um sucesso de bilheteria. Uma pena! A série é rica e tem várias oportunidades para que mais filmes sejam criados.

Silent Hill Revelação cumpre o que propõe e agrada tanto quem gostou do primeiro, quanto quem é fã dos jogos. Pode ter ficado abaixo do primeiro em várias coisas, mas ainda sim é uma boa continuação e excelente adaptação.

Postado por: Marcelo