180. Uma Análise por trás da Morte - Sessão do Medo

19 de março de 2014

180. Uma Análise por trás da Morte

Todos que já viram algum filme 'Premonição' alguma vez, devem saber do que se refere o titulo desta publicação. 

Nesse longa existem várias mensagens e pistas sobre os acontecimentos que gerarão um acidente. A morte, nesse filme é descrita como uma espécie de 'força' que acaba provocando o falecimento dos personagens, força essa que é praticamente invencível e incontrolável. Um cavaleiro do apocalipse. 

Eu gosto muito da franquia, por isso resolvi escrever a respeito. É um filme que se difere da maioria das outras películas de terror porque a ideia central aqui não é saber quem morre ou quem vive, pois você sabe que todo mundo vai morrer. O que você realmente quer ver no filme é como as pessoas vão morrer. As mortes criativas e mirabolantes que a própria Morte proporciona, é de impressionar, tudo... Leva a sua morte, e como é dito no filme, "não se pode enganar a Morte".  

O objetivo de eu estar escrevendo a respeito é justamente para levantar teorias sobre o significado de números que aparecem com frequência durante os seus cinco capítulos que compõe essa franquia, e também de alguns personagens importantes da série. Então, será inevitável não falar sobre o filme e de spoilers, por isso, se você deixou de ver ao menos um filme, é melhor não ler esse artigo a menos que queira, mas aí o risco é seu.



Vou começar com as numerações. Em todos os filmes da franquia o número 180 aparece, e toda a vez que ele aparece é sinal de que alguém vai morrer.

O primeiro longa metragem fora lançado em 2000, a ideia original era que a história fosse um episódio da série Arquivo X, mas após ler o roteiro, o diretor James Wrong viu potencial na história e fez o filme. Curiosamente o roteiro fora lido enquanto o diretor estava num avião. Adivinhem o número do avião que ele estava! Exatamente, 180. Coincidências a parte, a referência mais notável no primeiro filme é o número do avião em que o grupo de estudantes iria pegar rumo à Paris, 180.

O fato é. Porque esse número é importante? Tentaremos achar uma resposta para isso, mas antes é preciso saber os pontos em que esse numero aparece no decorrer da franquia. Então la vai:




Premonição
- O relógio de Alex muda repentinamente para o 180.
- O numero do avião é 180.
- A placa em que Carter fora atingido no final do filme tem o formato 081.
- A morte de Carter se passa 6 meses depois do Alex ter salvo Clear. Supondo que cada mês tem 30 dias, então 6 meses é igual a 180 dias.






Premonição 2

- Temos algumas referências ao voo 180 na TV e nas falas dos personagens.
- A placa de sinalização da pista do acidente inicial dizia "Next 180 Feet".
- Lugar que ocorre o acidente com o grupo de sobreviventes da rodovia (KM 180) , a caminho do hospital.




Premonição 3

- O número do chaveiro do carrinho que anda sozinho na loja de construção e provoca a morte de Erin, tem uma etiqueta “Unit 081”, só que o chaveiro estava de cabeça para baixo formando o numero “180”.
- Wendy vê o reflexo do numero 081 no espelho do metrô formando o numero 180.





Premonição 4

- A numeração pode ser vista no pilar de uma das arquibancadas no autódromo, antes do acidente.
- Quando Nick e Lori vão mostrar as suas pesquisas para Janet e Hunt, é a história do voo 180. 
- O número do ônibus que aprece no final do filme é 180.





Premonição 5
- Rapidamente o número 180 aparece na Tv do ônibus.
- Sam trabalha no “Café miro 81”, mesmo linha de restaurante cuja placa matara Carter no primeiro filme.
 - O avião que Sam e Molly pegam é o avião 180.


Bom, como eu disse, existem várias teorias sobre esse número. Teorias essas que sim, podem estar totalmente certas, mas ainda sim, não passam de teorias podendo assim ser um conteúdo errôneo, mas isso não impede de colocá-las em discussão, por exemplo:

Existe uma teoria que se o número 360 é um circulo perfeito, significa que é uma vida completa onde a pessoa vai morrer quando estiver velha de morte natural. A metade de 360 é 180, ou seja, é uma vida interrompida pela metade. Seria esse o grande segredo do numero? Quem sabe.

Outra curiosidade é que 180 dividido por 3 da '60 60 60'... Tirando o '0', forma o famoso '6 6 6', inclusive o número 6 também é visto em partes do filme, principalmente 'Premonição 3', como no portão em que Wendy e Kevin embarcaram na montanha russa, o número do carro que provoca o acidente no autódromo em 'Premonição 4' ou o número do portão de embarque de Sam em 'Premonição 5'. 

Agora, essa segunda teoria levanta uma questão... O demônio estaria
Estátua do Diabo na Montanha Russa do 3
envolvido na franquia premonição uma vez que ele é mencionado indiretamente, não uma, mas várias vezes?... Para mim, sim. Além das referências ao diabo visto na montanha russa da parte 3 e numa foto na parte 5. Acredito que exista uma trama 'oculta' que ocasiona os acontecimentos que vemos ao longo dos cinco filmes, vou explicar.

Antes de começar eu preciso dizer que entender o que vou dizer é algo que vai exigir que vocês viajem comigo e nas minha teorias. Então esqueça a lógica da realidade, beba uma tequila, cachaça, vodka e cerveja água, e vamos começar.


Ilustração do Diabo da Montanha Russa do 3 na foto de uma personagem do 5º Filme
Para entender tudo, precisamos começar pelo começo. Não falo de Premonição
5, mas sim do sinistro William Bludworth. Esse agente funerário sabe demais sobre a morte por que e como?... Isso não é explicado com clareza nos filmes. Mas a sua presença sugere que alguma coisa aconteceu com ele, algo que não é mostrado nos longas. Ainda mais porque em Premonição 5 o próprio homem diz: "Eu já vi isso acontecer antes...", e como esse ultimo filme é uma película da qual sua história se passa antes do primeiro, uma prequel. Não tem outro jeito a não ser pensar que existe muito mais sobre a morte e sobre o William do que o filme mostra, e não, essa cena não foi um erro como muitos pensam.

Vou começar fazendo uma pergunta para vocês... Porque pessoas jovens tão cheias de vida morrem de forma tão trágica nos filmes? Você poderia me responder: "Por quê chegou a hora deles". É válido, mas também pode ser que a tese esteja errada já que é uma resposta 'vaga' para acontecimentos tão extremos como os acidentes que vimos nos filmes. 

A morte tem tudo sobre controle, mas nada é 100% controlável. Sim, estou dizendo que a morte perdeu o controle de tudo. Como?... A resposta está em William e em seu passado. Bem, William é um humano e teve uma vida normal como qualquer outra pessoa, se ele sabe tanto sobre a Morte é porque ele viu coisas ou, quem sabe, teve uma premonição, salvara os amigos, mas com o tempo fora o único que conseguiu sobreviver. A minha tese é que ele fora o primeiro a enganar a morte a partir de uma premonição. E é a partir do momento em que ele sobrevivera quando deveria ter morrido que ocasionou uma confusão em todo o esquema da Morte, esquema que ela tinha para todos os seres vivos do planeta. William interfere na vida de 100 pessoas quando ele deveria estar morto. Essas 100 pessoas com o ciclo de vida já interferido, interferem na vida de 1000 pessoas, essas 1000 interferem na vida de 100000... E assim por diante. É como o enredo de Premonição 2, só que numa escala global, uma espécie de 'epidemia' que a Morte não consegue controlar, todos interferem no ciclo de vida de todos.

Essa confusão ocasionada por William desencadeou em um efeito dominó. Olhem bem, o que a morte fez em Premonição 2 para corrigir o erro? Começou a matar os sobreviventes do acidente da rota 23 de forma contrária a ordem vista no primeiro filme. Num mundo onde a vida de todo mundo fora interferida, a forma mais coerente de corrigir o erro seria agindo de forma contrária também. No caso, quem devia morrer, vive. E quem devia viver, morre. Dessa forma, ela teria o controle de volta. 

 Então repito: Porque pessoas jovens tão cheias de vida morrem de forma tão trágica nos filmes?... A resposta mais coerente que vejo é: porque ela está tentando recuperar o equilíbrio das coisas. Eu sei que acidentes de avião, engavetamentos, acidentes em montanha russas, em autódromos e em pontes, acontecem, mas a morte perseguir as pessoas depois de terem sobrevivido aos acidentes, e mais, pessoas jovens cheias de vida..., demonstra insistência da morte em recuperar um equilíbrio violado, não pelos protagonistas da vez, mas pelo contexto histórico que originou toda aquela situação. Quer dizer, ter a vida interrompida não faz parte da ordem natural das coisas. Essas pessoas que são perseguidas pela morte, na verdade deveriam ter uma vida longa e prospera antes da Morte inverter o esquema de todos por causa da interferência de William.

E a premonição. Em todos os filmes ela aparece. Reparem que a visão não é algo ruim, ela da a oportunidade das pessoas sobreviverem. Aqui não falo só das premonições, mas também dos sinais de forma geral que vão aparecendo de várias formas. Se a Morte existe, porque o Diabo não vai existir? Também como uma força, uma entidade maligna que tenta ser persuasivo e eficiente. Bom, se a Morte precisa matar quem devia estar vivo, o demônio poderia fazer de tudo para prejudicar o trabalho da Morte. A forma que ele tem para fazer isso é... Dando sinais para as pessoas terem uma chance de sobreviver, pessoas que deveriam morrer para restaurar um equilíbrio no esquema da morte. 

Com tudo fora de controle e sem forma de recuperação da ordem natural das coisas, talvez a Morte tenha que 'reiniciar' os seus planos numa escala universal, mas para isso ela precisará acabar com tudo, resumindo. Apocalipse. Esse apocalipse poderia trazer o Diabo para a terra e fazer o fim do mundo, seja através de desastres naturais, meteoros atingindo a terra, doenças... O que seja. 

Não sei se vocês conseguiram acompanhar a minha linha de paranoia raciocínio. Mas o fato é que, como diz Erin em Premonição 3, 'A Morte é complicada de se entender'. Não estou dizendo que essa teoria é a certa, mas é uma ideia levantada que se encaixa perfeitamente na franquia. 

A Morte não mata William porque ele deveria ter morrido, mas não morreu então ele tem que continuar vivo uma vez que a morte age de forma contrária, e ele sabe disso. Por isso ele é relutante em ajudar os personagens, porque ele viveu tudo e sabe que não tem jeito de sobreviver, o que ele tem são hipóteses que podem retardar a hora da sua morte.

Eu sei que é muita viajem dizer que o demônio ajuda os personagens, mas nem sempre o bom tem um propósito realmente bom. E a morte não é má, ela é uma entidade que tenta dar equilíbrio ao mundo, se algo sai do controle, é óbvio que haverá uma tremenda confusão e desorganização. Pensem assim, "E se a morte não existisse?"... provavelmente o planeta terra já teria sido destruída com a quantidade exageradamente alta de habitantes, até os dinossauros poderiam estar vivos... 

Outras pessoas podem dizer uma teoria mais simples, tipo. William é a própria morte/demônio e por algum motivo ele sai matando as pessoas. Ou que a morte é uma entidade louca que precisa dar uma chance para as pessoas sobreviverem, presumindo que ela tenha regras também.

O fato é que talvez nós nunca saberemos o que faz com que a Morte escolha as suas vitimas e muito menos saber qual é o real significado dos números 180 e 6, (para alguns o 23 também). Quem realmente é William Bludworth também será um mistério que não será respondido tão cedo, mas se um dia tentarem responder isso, que seja interessante e muito inteligente porque o público não vai aceitar menos que isso. 

Então é isso aí. Existem muitas outras teorias a respeito de tudo isso, mas aí o artigo ficaria grande demais, e partindo do pressuposto de que não devo testar a paciência do leitor e acreditando que vocês estão tontos com tudo isso, termino por aqui.

De forma geral, "Premonição" é uma série de filmes que se parou no 5, soube a hora de parar, mas infelizmente ela deixou de explicar coisas fundamentais que podiam nos ajudar no entendimento acerca da história narrada. E sim, acredito que os filmes deixam saudades com as suas mortes extremamente criativas e 'impossíveis'.  

Então como as teses levantadas aqui não possuem um caráter empírico, fica aqui a liberdade de vocês opinarem sobre as suas opiniões acerca do tema. Obrigado por ter dado seu tempo para ler esse artigo e parabéns a você que conseguiu me entender ou chegar até aqui. 

"Vejo vocês em breve!"




Por: Michael Kaleel