Crítica: Grito de Horror (1981) - Sessão do Medo

10 de abril de 2014

Crítica: Grito de Horror (1981)


Por Rodrigo Pinheiro
Filmes de lobisomens sempre tiveram um lugar no gênero, embora o subgênero de filmes sobre lobisomens não tenham ganhado tanto destaque quando os filmes de vampiro, que duram até hoje com inúmeras produção de diversos estilos. Se for pensar na década em que os filmes de lobisomens tiveram mais destaque, com certeza, você vai lembrar dos anos 80, com filmes que viraram clássicos e cults com o passar dos anos, como Bala de Prata (1985), Um Lobisomem Americano em Londres (1981), A Companhia dos Lobos (1984) e, é claro, o próprio Grito de Horror lançado em 1981, que eu considero o melhor filme de lobisomem dos anos 80, junto com Um Lobisomem Americano em Londres lançado naquele mesmo ano. Mesmo com as muitas qualidades, tanto em roteiro, quanto atuações e produção, o filme não conseguiu ganhar os méritos que merecia, continua sendo um dos filmes mais subestimados dos anos 80. Recentemente o site americano Bloody Disgusting fez uma lista com os 5 filmes mais superestimados do terror, Grito de Horror entrou na lista junto com A Profecia e Psicose. Pode isso?

Alguns devem estar se perguntando o motivo de eu achar esse filme tão bom, e eu vou explicar.

Produção e efeitos práticos:


Um diretor tão subestimado quanto o filme, Joe Dante foi o responsável pela direção de Grito de Horror, antes desse filme ele havia dirigido o mega trash Piranha de 1978 e mais tarde dirigiria Gremlins 1 e 2. O diretor seguia o mesmo estilo do mestre John Carpenter, usando apenas efeitos práticos e simples, mas muito eficientes e o resultado na tela é sensacional. O charme de Grito de Horror é que, a transformação dos lobisomens são mostrados em detalhes, sem cortes brucos e ângulos estranhos, vemos tudo com um close no rosto. O trabalho de maquiagem impressiona até hoje, bem diferente das inúmeras produções que usam efeitos especiais de computador, deixando o filme todo artificial e datado, nesse caso aqui é uma verdadeira aula de como se faz um clássico. O responsável pelos efeitos especiais de maquiagem e efeitos é ninguém menos que Rob Bottin, o mesmo responsável pelos incríveis efeitos especiais de O Enigma de Outro Mundo de John Carpenter, lançado no mesmo ano. O orçamento de Grito de Horror era baixo, como boa parte dos filmes produzidos naquela época, mas nem o baixo orçamento prejudicou a produção, boa parte da equipe técnica tinha experiencia em outros clássicos do gênero.  

Confira abaixo a melhor cena de transformação que eu já vi em um filme de lobisomem.


História e personagens:


O roteiro assinado por John Sayles (e contribuição de Terence H. Winkless) é baseado em um livro de Gary Brandner conta a história de Karen White (Dee Wallace de Quadrilha dos Sádicos, E.T O Extraterrestre, The Lords of Salem, entre outros...), uma jornalista que é atacada por um assassino e fica traumatizada com esse fato, e ai surge a recomendação de seu psicologo que se isole em uma região de reabilitação localizada num acampamento chamado "A Colonia" Patrick Macnee interpreta o Dr. Waggner, psicólogo que dirige a tal colonia , um retiro isolado cercado por uma floresta densa e longe da cidade grande - o terreno de caça perfeito para animais de todas as formas e tamanhos. Esta "colônia" é, basicamente, um santuário para aqueles com tendência a mudar de forma sempre que for necessário. É um lugar onde eles podem agir, sem chamar a atenção para si mesmos na sociedade normal. Até o final, porém, o público não está ciente de que todos eles são monstros. Curiosamente, um pequeno contingente da colônia se recusam a ser "domado" , desejando caçar seres humanos como eles sempre fizeram, em oposição à proposta do Dr. Waggner de fontes de alimentos alternativos. Assim como na sociedade humana, os lobisomens têm seus fora da lei, membros dementes que usam seus "dons" para a sua vantagem.  Tal é o caso com o personagem de Eddie Quist, o serial killer do começo filme. O roteiro o apresenta como o monstro principal da história, ou o líder do bando de lobisomens. Enquanto ele é um dos principais defensores desta circo lobisomem psicopata, Dr. Waggner comanda o show, ou assim ele pensa. Eddie também o responsável por uma das melhores cenas de transformação da história do cinema. O bom resultado de Grito de Horror pode ter sido a ponte para mais dois clássicos do gênero lançados posteriormente, os já citados Um Lobisomem Americano em Londres, lançado um pouco tempo depois naquele mesmo ano e se destacando e Bala de Prata em 1985, adaptação do livro A Hora do Lobisomem de Stephen King.


A franquia Grito de Horror e suas continuações de qualidade duvidosa:

A boa recepção de Grito de Horror deu origem a uma das franquias mais longas e desnecessárias da história do cinema de horror, continuações fracas, sem o estilo do original e com uma equipe diferente, apostando alto no humor negro e o ultimo seguindo o estilo da saga Crepúsculo (Caraca! Pode isso?) . 

Segue abaixo a filmografia inteira da franquia com link direto para os cadastros no Filmow.

      

      

(Grito de Horror (The Howling - 1981) / Grito de Terror (The Howling 2- Your Sister is a Werewolf - 1985) / Grito de Horror 3 - A Nova Raça (The Howling 3 - 1987) / Grito de Horror IV - Um Arrepio na Noite (Howling 4 - The Original Nightmare -  1988) / Grito de Horror 5: O Renascimento (Howling V: The Rebirth - 1989) / Grito de Horror 6 (Howling VI: The Freaks - 1991) / Um Lobisomem na Califórnia (Howling VII: New Moon Rising - 1995) / Grito de Horror - Lua Nova, Sangue Novo (The Howling: Reborn - 2011).

Consideração Final:

Um dos melhores, se não o melhor, filme lobisomens dos últimos tempos, hoje em dia é um pouco subestimado por boa parte do público que não reconhece a sua importância no gênero. Os efeitos especiais, como eu já comentei, estão perfeitos, a parte técnica do filme é impecável, mesmo não sendo uma superprodução. Os atores estão muito bem, Dee Wallace dá uma show no papel principal e a direção também é acertada. O filme só peca pelo ritmo lento demais em alguns momentos, mas nada que atrapalhe ou tire o mérito do filme ao todo.

Essa foi meu primeiro review aqui no Sessão, espero que tenham gostado. Quem não viu o filme, eu recomendo muito, e quem já viu sabe que eu to certo ao afirmar que é um dos melhores filme de lobisomem de todos os tempos. Até a próxima!