Crítica: A Invocação (2012) - Sessão do Medo

24 de julho de 2014

Crítica: A Invocação (2012)


A Invocação 3D (2012)




Dirigido por: Tsutomu Hanabusa


Sinopse: Akane é um professor de escola secundária que ouve um rumor de seus alunos que há uma filmagem real na internet de suicídio de alguém. O filme é dito para dirigir qualquer um que vê-lo para também cometer suicídio. Akane não acredita que o boato no início, mas quando um de seus estudantes do sexo feminino morre depois de ver o filme, ela e seu namorado Takanori são fatalmente atraídos para o horror que foi criado pelo homem que aparece na filmagem suicídio, Kashiwada. Kashiwada intenção é criar o caos no mundo, trazendo de volta Sadako eo poder de sua maldição. Agora Akane tem que lutar contra Sadako e Kashiwada para salvar a vida de si mesma e Takanori.

Essa semana foi noticiado que a franquia americana O Chamado irá finalmente ganhar uma nova continuação, com a promessa de trazer a personagem Samara de volta, dessa vez em terceira dimensão, nem todo mundo sabe, mas os criadores da franquia original Japonesa Ringu já haviam feito, não só um, mas dois filmes em 3D, Sadako 3D (Intitulado aqui no Brasil com o estranho titulo A Invocação) e o ainda inédito por aqui Sadako 2 (lançado em 2013 também em 3D).


O primeiro filme da franquia Ringu foi lançado em 1998, baseado em um livro escrito por Koji Suzuki.  Livro esse que também serviu de inspiração para os remakes coreano The Ring Virus (1999) e norte-americano O Chamado. E também gerou as continuações do filme original japonês, Ringu 2 e Ringu 0: Birthday. O filme fez muito sucesso no Japão, obtendo 15,9 bilhões de ienes (aproximadamente 137,7 milhões de dólares). É claro que com o sucesso da franquia, tanto japonesa, quanto americana, a franquia não iria parar por ai. 














O projeto americano de uma terceira continuação em 3D estava parada a um bom tempo, saiam noticias, mas a produção não andava, então em 2012 foi anunciado o projeto do primeiro filme em 3D da franquia japonesa, partindo da mesma idéia do projeto americano, fazer um filme em 3D para um público mais jovem com adolescentes na trama e a personagem Sadako tendo o destaque que não tinha nos outros filmes da franquia (Péssima idéia).

A direção de Sadako 3D ficou a cargo de Tsutomu Hanabusa, que antes desse só havia dirigido dois filmes, uma comédia e aventura chamada Handsome Suit em 2008 e uma comédia romântica adolescente chamada High School Debut de 2011... Ou seja, já dava pra prever que boa coisa não ia vir de um cara que não tinha experiência no gênero terror. A produção também não tem nenhum dos envolvidos na franquia original, nem mesmo como produtores.... Agora que eu assisti eu posso dizer que Sadako 3D é uma das piores continuações que eu já vi em muito tempo, foge completamente da essência da franquia original e cai no velho clichê de filmes de terror japonês, só que muito mais genérico que a maioria.




















O enredo é centrado na personagem Akane, uma professora que está preocupada com um vídeo viral que anda circulando nos celulares dos alunos da sua turma. Tal vídeo era sobre o suicídio de um sujeito diante as câmeras, e que, segundo a lenda, todos que viram o vídeo também cometeram suicídio....Muito semelhante a trama principal do filme Kairo (O Pulse original), não bastasse isso, a trama ignora totalmente a existência do vídeo amaldiçoado da franquia original e foca somente no tal vídeo do estranho suicida. Um pouco mais adiante descobrimos que várias mulheres foram assassinadas pelo sujeito do vídeo e jogadas em um poço para serem usadas como corpo pra Sadako, que procura o corpo perfeito para possuir. Descobrimos também que Akane tem poderes psíquicos (Eita porra!!) e que ela pode ser o tal corpo perfeito para ser usado por Sadako.



















Algo que o primeiro e as demais continuações tinham como destaque é o fato de serem grandes filmes com poucos recursos, o diretor sabia usar unicamente a narrativa e a direção pra assustar, sem grandes efeitos especiais e os tipicos jumps scares, que são tão comuns em produções hoje em dia. Sadako 3D vai na contramão de tudo isso e aposta pesado nos clichês de fantasmas cabeludos aparecendo de 5 em 5 minutos com jumps cares e efeitos CGI artificiais e preguiçosos, misturado a um 3D exagerado numa trama bem boba e sem destaque.


Alguns podem até argumentar que Sadako 3D se destaca por ser diferente e por não copiar a trama do primeiro filme, de fato o roteiro foge um pouco da narrativa do primeiro, tendo um enredo diferente do que foi mostrado nos outros da franquia, mas isso não é um destaque positivo, tendo em mão que toda a trama do filme é fraca e sem destaque e a forma como é conduzida e dirigida e bem fraca. Chega um ponto que o filme cansa com cenas da Sadako saindo de TVs, computadores e celulares e algumas são tão fracas que chegam a ser tornar comedia involuntária, que te fazem rir ao invés de te assustar. O que dizer da protagonista que pode dar um grito magico super-sônico? Saiu dos X-Men?? Fora isso, temos a Sadako com novos poderes, podendo criar um exercito de criaturas parecendo uma mistura de aranha com a personagem Mamá do filme de 2013 misturada com a criatura do Enigma de Outro Mundo, misturada com a Kayako da franquia O Grito, que correm em alta velocidade e se transformam em gafanhotos (!!!)

















Sadako 3D é mais uma dessas continuações picaretas feitas só para faturar uma grana com uma franquia de sucesso, foge totalmente da proposta da franquia e é só um filme de terror genérico feito para o publico menos exigente e que não conhece a franquia. O filme faturou uma grana nos cinemas e 1 ano depois os produtores picaretas se apressaram a fazer um tal de Sadako 2, vou passar longe, sigam-me os bons...

Postado por: Marcelo