Critica: A Volta dos Mortos Vivos 5 - Rave (2005) - Sessão do Medo

28 de julho de 2014

Critica: A Volta dos Mortos Vivos 5 - Rave (2005)


Você está preparado para a sua última rave?... Como essa, com certeza, não.

Então galera, vou encerrar a minha critica da saga "Return of the living Dead" com esta quinta e ultima parte. A verdade é que eu estava tentando não fazer a resenha desse filme porque ele é tão ruim, mas tão ruim que ignoro a sua existência. Todavia eu nunca me perdoaria se não as completa-se, principalmente uma franquia que eu gosto como essa, ou pelo menos parte dela. Então vamos lá.

A Volta dos Mortos Vivos 5 Rave... Bom, o filme continua seguindo Jullian e os sobreviventes do ataque em Necroprolis Beck e Cody, tentando continuar com as suas vidas 'normais' com muita festa, drogas e idiotices. 

Nesse filme logo em sua introdução vemos o Tio Charles morrendo após mexer nos tambores Trioxin (agora chamados de 'Triplo-X) e liberarem alguns zumbis. O ator Peter Coyote deve ter se ajoelhado e agradecido a Deus por terminar com o seu personagem logo na introdução do filme e podemos dizer com toda a certa que ele está num de seus piores papéis de sua carreira assim como na parte 4, sempre mostrando os dentes para qualquer situação. 

Outro ponto é que após Jullian ficar sabendo que o tio Charles morreu... Gente, ele fica triste. Depois do homem ter transformado os pais dele em robôs, depois de por culpa dele o irmão caçula e alguns amigos de Julliam terem morrido, depois de o tio revelar que quer dominar o mundo. O Banana do Jullian lamenta a perda hahaha É para rir mesmo. Aliás, o filme apesar de ter os mesmos atores do 4 reprisando os mesmos papéis (pelo menos, os que sobreviveram em Necropolis), em nada indica que ele se trata de uma sequência. Necropolis nunca fora mencionada no filme, ninguém comenta sobre zumbis e os adolescentes sobreviventes babacas do filme anterior ficam ainda mais babacas nesse.

Jullian e sua nova namorada, Jenny, descobrem os tambores com os mortos dentro numa passagem secreta da casa dele, então o cara pega um contêiner e leva para o seu amigo Cody para ele tentar descobrir o que é aquilo. É incrível como a inteligência dos protagonistas regrediu desde a parte quatro, e olha que lá já não era grande coisa. O número do telefone do exército estava ali, eles podiam só ligar e resolver o problema, mas não. Seria fácil demais e se isso acontecesse, não teria filme, o que para mim, seria muito melhor.

Aí começa uma tosqueira sem tamanho. O irmão de Jenny ao descobrir que a substância dentro do tambor tem derivados de ecstasy, ele toma (!!), imagine só... O cara pega um negócio verde e gosmento e toma só porque tem derivados de droga. Tipo "Ah nossa, essa merda foi feita por aquele homem que é drogado, a merda deve ter drogas, vamos comer!"... Não sei me entenderam com essa explicação de baixo calão, mas esse filme desce tão baixo que eu tento me igualar srsr... Continuando, após o irmão DJ de Jenny dizer que 'viajou pesado' com a substância... Ele e Cody resolvem fazer escondidos, drogas para distribuir numa festa Rave que acontecerá no Halloween. Aí começa a baixaria.


Drogas do tambor são vendidas para todo mundo, o resto vocês sabem... Quem usa as drogas, volta como zumbi, aqueles mesmo do 4, o estranho é que ninguém passa mal ou morre com a droga, simplesmente de uma hora para outra deixa de ser um ser vivo e passa a ser um zumbi, um zumbi irritante que só sabe falar 'cérebro'. E por falar em Cérebros hahahaha Desculpem o riso precoce, mas tem uma cena que preciso comentar. 


Becky, a sobrevivente do quarto filme não tem um final feliz... Pelo contrário, após ela ser arranhada por um zumbi, ela se transforma em uma morta viva no carro enquanto fica admirando a paisagem com o namorado. De repente ela pede "Cérebro" e ao invés de ir para a cabeça do cara, ela vai para o pênis dele fazer sexo oral (a minha reação ao ver foi uma mistura de não acredito com hahahaha), e depois de alguma coisa, ela morde o pênis do cara que grita srsrs Esses zumbis estão uma comédia geral, levaram muito a sério esse papo de "Pensar com a cabeça de baixo", mas enfim... 


Quando Jullian e Jenny descobrem que Cody fez drogas. O Jullian solta a pérola que todos estamos acostumados a ouvir "Eu só queria descobrir o que tem no contêiner para divulgar a imprensa"... Já pensou?... O Jullian vai no jornal e diz "Gente, encontrei um tambor do exército em casa que transforma as pessoas em zumbis". Bem tosco mesmo, mas vamos que vamos, temos aqui até zumbis pedindo cérebros e arrancando um pedaço da bunda de uma líder de torcida, acreditem, não estou exagerando. 

Enquanto temos um surto de zumbis com pessoas que usaram muitas drogas... Uma dupla no estilo paródia de 'MIB Homens de Preto' estão tentando destruir os rastros dos comedores de cérebros e achar o tambor que Jullian deu a Cody. E por falar no tambor, adivinhem que zumbi estava lá dentro... Tarman, em sua pior aparição de toda a franquia, apesar da maquiagem em alguns momentos se mostrar um pouco mal feita, é de longe a melhor de todo o filme. 




Após um outro video clipe mostrando o grupo preparando o local onde irá acontecer a rave... A festa começa e é claro que o massacre também... As pessoas da rave vão virando zumbis, e vagarosamente vai chegando a um ponto em que o pânico é geral. Se lembram do irmão DJ de Jenny? Pois é, ele vira o segundo zumbi mais bem maquiado do filme, mas ele aparece tão pouco em partes tão ruins que ele se torna apenas mais um no meio de tantos. Em meio a correira, Cody tenta buscar a sua namorada na festa, e Jullian acompanha Jenny que não se conforma com a morte do irmão... E nesse vai e vem, todos vão morrendo e virando zumbis.


Até que o exército aparece e joga uma bomba na rave criando um imenso buraco no local e matando todos os zumbis... Os únicos sobreviventes são Jullian, Jenny e os dois agentes do exército. E finalmente o filme acaba com Tarman desistindo de pegar carona e caminhando pela rua empoeirada pedindo cérebros. E assim termina uma franquia que começou de forma inovadora e acabando nessa tranqueira que não da motivo nem razão para existir. 


E para concluir, digo que a franquia "A Volta dos Mortos Vivos", para mim, só vai até a terceira parte. Tanto em Necropolis quanto em Rave nós percebemos que não havia muita criatividade e nem interesse da produção em fazer algo caprichado para o publico. Em rave o diretor Ellory Elkayem resolveu chutar o balde e fazer uma coisa ainda mais sem compromisso. 

Nota 3,0.




Direção: Ellory Elkayem
Produção: Anatoly Fradis, Steve Scarduzio
Roteiro: William Butler, Aaron Strongoni
Elenco: Peter Coyote, Aimee-Lynn Chadwick, Cory Hardrict, John Keefe, Jenny Mollen.
Música: Robert Duncan, Ralph Rieckermann, Aimee-Lynn Chadwick.

Por: Michael Kaleel.