Crítica: Alien - O Monstro Assassino (1980) - Sessão do Medo

3 de dezembro de 2014

Crítica: Alien - O Monstro Assassino (1980)


De uns dias pra cá eu decidi passar a limpo a filmografia do diretor Italiano Luigi Cozzi, que tem na filmografia 15 perolas voltados pro cinema B, sendo terror ou não, o cara dirigiu algumas tranqueiras muito boas, dentre os trabalhos mais conhecidos estão Paganini Horror, Filmagem Macabra, Hércules 87 e o próprio Contamination (Que por aqui saiu com o titulo Alien, O Monstro Assassino, titulo tão picareta quanto o filme), filme esse que ficou cult com o passar dos anos. 

Pra quem não sabe os Italianos era mestres em fazer ripoffs de produções de sucesso em Hollywood, isso vinha desde os tempos de O Exorcista. Lembra dos rip-offs O Anticristo e Beyond the Door? Pois bem, é claro que algum Italiano ia pensar em fazer um ripoff de Alien O 8º Passageiro depois da enorme bilheteria e sucesso do filme americano. E 1 ano depois foi lançado o filme, com produção meio americana, meio italiana, filmado em Nova York e ambientado por lá; Diferente do que era esperado, o filme não se passa no espaço, é ambientado todinho na terra, um grande diferencial pra filmes nesse estilo. 


A influencia do Alien o 8º Passageiro é notada em algumas coisas no decorrer do filme, mas o enredo se diferencia com o enredo envolvendo uma conspiração industrial e a tal contaminação do titulo original, que é uma toxina lançada pelos ovos alienígenas que contaminam os seres humanos, e resultando explosões de tórax, bem parecido com aquele parasita do Alien saindo do tórax no filme do Ridley Scott.

No enredo, um navio sem tripulação chega a Nova York. As autoridades sanitárias logo descobrem que a carga é formada por estranhos e destruidores ovos alienígenas. Uma coronel do Exército, Stella Holmes, se recorda de um relato feito meses antes pelo astronauta Ian Hubbard, no retorno de uma missão tripulada a Marte, sobre a existência de criaturas mortais para os seres humanos. 

Não vou negar, o filme me decepcionou muito! O enredo não conseguiu me prender, o ritmo não me animou nem me fez entrar no clima do filme. A grande beleza do filme tá na produção feita com poucos recursos, dá todo um charme a qualquer filme de terror feito naquela época em que os diretores se viravam como podia. Mesmo com poucos recursos, o diretor fez um bom trabalho, principalmente com as tais cenas de explosão torácicas, que ficaram bem gráficas e com um gore bacana.

(Spoiler abaixo, se quiser leia, se não quiser, não leia!)

O filme se desenvolve focando apenas nos ovos alienígena. E o monstro assassino do titulo, cadê ele nisso tudo? Bom, ai é que tá minha decepção. O monstro alienígena só das as caras lá no clímax do filme, lá pelo final, mais precisamente na ultima cena do filme e caralho, que parada mais tosca. O monstro é um ser gigante e verde de um olho só, que ocupa do chão até o teto de um lugar em que ele fica armazenado, chocando os ovos, que são usados por uma empresa. Eu tentei, mas não vi muito sentido no enredo envolvendo a tal conspiração de uma empresa que espalha esses ovos por ai. Os planos da vilã não são completamente claros, não é dada muita informação e fica a impressão que isso foi tão mal desenvolvido que os planos dos vilões parecem aqueles planos de episódio do Chapolin. Só faltou darem uma risada satânica e falar "Vou destruir o mundo com esses ovos alienígenas rá rá rá rá rá" .

Num todo, Alien, O Monstro Assassino vale uma conferida, principalmente por quem curte as picaretagens italianas. O diretor faz um bom trabalho com poucos recursos, mas infelizmente peca no enredo e na concepção da criatura do titulo. To devendo uns filmes do Luigi Cozzi, vou assistir e volto aqui pra comentar os outros. Até a próxima resenha!

Postado por: Marcelo