Crítica: Terras de Sangue (2014) - Sessão do Medo

18 de dezembro de 2015

Crítica: Terras de Sangue (2014)


Lançado em 2014, como White Settlers, esse filme britânico é uma mistura de Os Estranhos com Você É O Próximo. E quando digo mistura, não é só os temas. O filme realmente parece com os citados. Estrelado por Pollyanna McIntosh (que ficou reconhecida após protagonizar The Woman e depois Let Us Prey), o filme foi lançado nos EUA, com outro título, The Blood Lands (que significa Terras de Sangue). No entanto, acho isso até um eufemismo, já que o filme não é violento. Pelo menos não como foi vendido.

Procurando se apoiar mais no suspense, o filme traz uma história que já vimos em outros títulos. Um casal compra uma casa isolada, longe da correria das cidades grandes, para tentar começar uma nova vida. No entanto, na primeira noite, eles são acordados por barulhos. Logo se revela que um grupo de homens mascarados estão tentando matá-los.

A partir daí, o filme apresenta a melhor coisa dele: muitas cenas de perseguições, cheias de tensão. Tem um corre-corre, tem a protagonista se arrastando pelos cantos enquanto os caras andam em volta da casa, etc. Esse é o melhor aspecto do filme, pois é o que mais empolga. No entanto, não passa disso.


Os invasores usam máscaras de porcos, que remetem àquelas de Você É O Próximo, e até o desfecho, não tem razões para atacar os novos moradores. No entanto, é exatamente no final que o filme desanda. Pelo menos para mim, o filme ter acabado daquele jeito com aquele tipo de explicação não foi satisfatório.

A direção em si não tenta dar uma identidade única ao filme, deixando apenas o roteiro fazer o trabalho todo. Agora, o que acontece quando a produção de um filme se apoia num roteiro fraco? No fundo, dá para perceber uma certa crítica política na história, mas o final é tão ruim, mal feito, que dói e estraga todas as chances do filme ter sido bom.

The Blood Lands não traz nada de novo ao gênero, nem tenta trazer. Se o desenvolvimento da invasão e a sobrevivência da protagonista empolga, remetendo à filmes como Você É O Próximo, o final é uma decepção à parte, por que tenta inovar e não sai do lugar. Por fim, vale mais a conferida pelas cenas de tensão e perseguição envolvendo a Pollyanna McIntosh. Se quer ver um bom filme de home invasion, passe longe de The Blood Lands.

por Neto Ribeiro