Crítica: The Poughkeepsie Tapes (2007) - Sessão do Medo

8 de outubro de 2016

Crítica: The Poughkeepsie Tapes (2007)


O quarto filme da semana de Found Footages  é uma produção não muito conhecida e que pra falar a verdade, já comentei aqui no blog em uma crítica, feita quando vi o filme pela primeira em 2015. Com essa nova sessão, resolvi reescrever já que, sem dúvidas, The Poughkeepsie Tapes traz tudo que um found-footage deve trazer.

E o qual o propósito do formato found-footage? Com certeza não é arrecadar milhões com um orçamento baixo. Na verdade, é mostrar uma história supostamente real, usando fitas documentadas pelos personagens para aumentar a veracidade. Um exemplo perfeito desse formato é A Bruxa de Blair (1999), que junto com sua genial campanha de marketing fez geral acreditar que tudo aquilo era real.



Poughkeepsie Tapes não teve tanta sorte e passou despercebido quando seu lançamento foi cancelado semanas antes da data e nem chegou a ser lançado em DVD pela distribuidora, que era a MGM. Só em 2014 que foi liberado para aluguel VOD!

Uma pena porque se isso não tivesse acontecido, muita gente conheceria esse exemplo de found-footage. Se você quer algo que pareça real, aqui tem algo que parece brutalmente realista.

O filme envolve a história de uma casa em Poughkeepsie onde o FBI encontra várias fitas em VHS, fitas essas que pertencem a um famoso serial killer que há anos brinca com a polícia. No quintal da casa, corpos decompostos são encontrados enterrados. Através de entrevistas com detetives do FBI, psicólogos, especialistas e familiares das vítimas, conhecemos a história do Carniceiro do Rio, apelido dado ao assassino pela polícia. Nas fitas encontradas, vemos chocantes gravações das vítimas do psicopata - desde a primeira até a última.

Conheci o filme em alguns sites e listas de "filmes de terror que você deveria assistir". Pelo o pouco que vi (fotos, gifs, etc), até achei que a história envolvesse algo sobrenatural. No entanto, Poughkeepsie que se situa em algo bastante real e toda a ótima produção dele faz com que seja um filme crível e excelente. Os atores completamente desconhecidos dão um ar de realidade à história, já que ela parece algo que veríamos no Fantástico.


Quando assisti pela primeira vez, achei ele meio superestimado (talvez por ter ido com muita sede ao pote), mas depois de repensar direito e revê-lo, não posso negar: é um filme perturbador. Ele aborda um tema banal na sociedade - sim, banal. É chocante mas é verdade. Algumas interpretações e cenas são muito mas muito bem feitas, como a cena em que o assassino dá uma carona para uma mulher e se revela um psicopata, mostrando o desespero da vítima ao perceber que será a próxima do Carniceiro do Rio.

Pelo seu formato, Poughkeepsie se sai como um dos melhores exemplares em filmes de serial killers. O que te pega de surpresa é justamente a veracidade de tudo. São poucos filmes de terror - ou suspense mesmo - sobre assassinos que conseguem retratar a situação com tamanha maestria, sendo possível o choque do público perante os acontecimentos. O roteiro é caprichado e organizado, montando toda a identidade do assassino, um personagem que mete medo por sua frieza e por sua aparência completamente normal. Não precisamos de deformações faciais ou máscaras. 

Fiz questão de re-apresentá-lo ao público do blog pois é um verdadeiro filme found-footage, não esses horríveis que saem aos montes todo dia. Tem uma atmosfera assustadora por tratar de algo "real" (ainda que seja ficção). Vemos até, no final, uma cena de quebrar o coração, mostrando a única sobrevivente do Carniceiro dando uma entrevista. Não percam esse filme. NÃO PERCAM.

por Neto Ribeiro

Título Original: The Poughkeepsie Tapes
Ano: 2007
Duração: 86 minutos
Direção: John Erick Dowdle
Roteiro: John Erick Dowdle
Elenco: Bobbi Sue Luther, Samantha Robson, Ivar Brogger



Description: Rating: 4 out of 5