Crítica: The Hole in the Ground (2019) - Sessão do Medo

10 de fevereiro de 2019

Crítica: The Hole in the Ground (2019)


Todo ano tem sua cota de filmes de terror com crianças demoníacas, é algo que não se pode exatamente reclamar mais. Alguns conseguem sair da caixinha, outros são fadados ao fracasso. No entanto, há aqueles que mesmo que não tragam novidade para o jogo, jogam bem e The Hole in the Ground é um desses. Uma produção pequena vinda da Irlanda, acabou ganhando mais alcance após a A24, uma das maiores responsáveis por filmes independentes da atualidade, comprar os direitos do lançamento.

A história gira em torno de Sarah (Seána Kerslake), uma mãe solteira que vive com seu filho Chris (James Quinn Markey) em uma casa recém-adquirida no interior da Irlanda. Com um passado sombrio, ela encontra ali uma nova vida. Morando perto de um bosque, Sarah nota a presenta de uma enorme e misteriosa cratera poucos metros adentro dele. Quando dias depois, após um breve susto, ela começa a notar um comportamento diferente de Chris, Sarah desconfia que isso pode ter algo haver com o buraco. E que talvez aquele não seja seu filho.

The Hole in the Ground segue um esquema parecido com o de outros filmes com a premissa levemente semelhante, portanto adianto logo que você não verá algo novo aqui. Mas verá algo bem-feito. Mesmo com o enredo já batido, é graças à direção de Lee Cronin (em seu primeiro longa-metragem) que esse suspense consegue não cair na mesmice.


Isso porque o diretor investe numa atmosfera bastante imersiva e ao mesmo tempo pesada. A fotografia arrojada e soturna, se arriscando com tomadas criativas, a trilha sonora típica mas efetiva, os pequenos incidentes no roteiro, as conexões com um caso anterior na cidade... A forma que tudo é contraposto em tela no primeiro ato é o óleo na engrenagem e os efeitos disso surtam até o fim da projeção. 

Como já falei, não há exatamente muitos elementos novos. Se pudesse comparar à outras produções, poderia dizer que The Hole in the Ground é uma mistura de The Babadook (2014) com Hereditário (2018), mas sem a ousadia desses filmes, que foi justamente o que os tornou obras-primas instantâneas. Isso não é exatamente um demérito, pois o longa é auto-consciente e não é como se ele tentasse ser algo que não é. 

Mesmo com os clichês, The Hole in the Ground consegue criar um pouco de identidade própria e cumprir exatamente o que promete: ser um horror eficiente. A desconfiança rondando Sarah é bem-trabalhada através de cenas pequenas. Como diz uma personagem, são mudanças que "apenas uma mãe notaria". O ápice é alcançado numa cena onde ela testa seu filho ao fazer uma brincadeira que costumava conectar os dois, onde mesmo que nada explícito aconteça até então, a tensão se faz presente e a simples troca de olhares entre Sarah e o garoto consegue te prender à tela.


Título Original: The Hole in the Ground
Ano: 2019
Duração: 90 minutos
Direção: Lee Cronin
Roteiro: Lee Cronin, Stephen Shields
Elenco: Seána Kerslake, James Quinn Markey, James Cosmo