"Nós": site aponta três pistas para o plot twist do filme - Sessão do Medo

24 de março de 2019

"Nós": site aponta três pistas para o plot twist do filme


*O texto contém spoilers sobre o filme Nós

Nós é um filme que continua intrigante mesmo depois do seu fim. O novo longa de Jordan Peele, que também dirigiu e roteirizou Corra! (2017), mal estreou e a internet já está cheia de textos destrinchando a história. Um dos mais interessantes foi publicado no site Vox por Aja Romano e aponta três pistas espalhadas por Peele no decorrer de filme que adiantariam a verdadeira identidade de Adelaide Wilson/Red (Lupita Nyong'o) - como o desfecho revela, a verdadeira Adelaide foi substituída por sua cópia na infância. 

A cor vermelha


O vermelho tem uma importância muito grande na vida de Adelaide: é a cor que remete à vida perfeita que tinha, como observa Romano. Na cena do parque ambientada em 1986, a protagonista, ainda criança, está comendo uma maçã vermelha e, antes de ser levada ao subterrâneo e substituída por sua cópia na casa de espelhos, avista um aviso vermelho de "saída" no local.

Algemada no subterrâneo, a Adelaide original perde a camiseta inspirada na música Thriller, de Michael Jackson, e fica somente com a da campanha Hands Across America, que ela viu na televisão no começo do filme e que tem figuras de cor vermelha. 

Além da fixação pela cor - a própria personagem se chama Red ("vermelho", em inglês) e todas as cópias estão vestidas com uma roupa vermelha -, as referências à campanha Hands Across America (um evento que realmente aconteceu em 1986, quando quase 6,5 milhões de norte-americanos deram as mãos como parte de uma ação de combate à fome e à falta de moradia para pessoas pobres) são pistas da surpresa que viria ao final. Em uma ideia que obviamente partiu de Red, os indivíduos que saíram do subterrâneo começam a dar as mãos uns aos outros de maneira semelhante à campanha Hands Across America

A única que fala


De todas as cópias que aparecem no filme, Red é a única capaz de se comunicar verbalmente em inglês. Os demais não emitem som algum ou, no máximo, soltam grunhidos animalescos. Ou seja, isso já indicava que ela não era como os outros.

O texto publicado no Vox destaca ainda que, em alguns momentos do filme, a fala de Adelaide aparentemente demonstra falhas (algo que eu confesso não ter percebido) e ela mesma relata à sua amiga Kitty (Elisabeth Moss) que é uma pessoa com dificuldade de se expressar. O autor do texto ainda afirma que Adelaide deixa escapar uma espécie de "rugido" ao matar Red, em um momento no qual sua natureza de cópia fala mais alto que a sua máscara humana - novamente, precisarei rever o filme para observar esse detalhe. 

Itsy Bitsy Spider


Por fim, Romano chama a atenção para o fato de que, enquanto está sendo apunhalada no terceiro ato de Nós, Red começa a assobiar Itsy Bitsy Spider. Essa canção infantil, segundo o autor do texto, supostamente desperta uma reação em Adelaide, trazendo de volta um passado até então esquecido. 

Junta-se a isso o fato de a primeira frase de Red no filme começar com o tradicional "Era uma vez..." e de ela ter batizado o seu filho de Pluto, fica possível perceber que as referências dela são todas tiradas da infância, justamente o período no qual teve contato a histórias e desenhos infantis - sim, o Pluto da Disney já existia nos anos 80. Uma evidência de que Red teria convivido com humanos no passado e, portanto, uma pista para a sua verdadeira identidade.

Aproveite para ler também: