"Nosferatu": dez curiosidades sobre um dos maiores clássicos do cinema - Sessão do Medo

15 de abril de 2019

"Nosferatu": dez curiosidades sobre um dos maiores clássicos do cinema


Ícone do movimento cinematográfico conhecido como Expressionismo Alemão, Nosferatu (1922) é um daqueles filmes que o tempo jamais poderá apagar - é uma obra imortal, um dos primeiros clássicos do cinema. Assistir à história do corretor imobiliário Hutter (interpretado por Gustav von Wangenheim), que viaja até a longínqua Transilvânia para fechar negócio com o sinistro Conde Orlok (Max Schreck), nunca deixa de ser uma experiência especial para todo fã de cinema, especialmente de terror.

No ano em que o longa-metragem do diretor alemão F.W. Murnau completa seu 97º aniversário, o Sessão do Medo traz uma lista de dez curiosidades que você provavelmente não sabia sobre o filme:

O escritor Bram Stoker (1847-1912)
1. O roteiro é inspirado no livro Drácula (1897), do escritor irlandês Bram Stoker. No entanto, os autores do longa não tinham os direitos autorais do romance e alteraram vários nomes e detalhes: o Conde Drácula virou Conde Orlok e Jonathan Harker se torna Hutter, por exemplo. Mesmo com essas mudanças, a família de Stoker ganhou um processo de violação de direitos autorais e uma ordem judicial determinou que todas as cópias do filme fossem destruídas - por sorte, algumas sobreviveram e hoje há uma infinidade de restaurações e versões da obra. Uma delas, inclusive, está disponível com legendas em português no YouTube

2. Como consequência do processo, os estúdios Prana (responsáveis por Nosferatu) foram à falência, sendo o longa sobre o vampiro seu primeiro e único lançamento. 

3. Nosferatu chegou a ser banido na Suécia por conta do seu "excesso de terror". O longa só foi liberado lá em 1972. 

Participação mais que especial em episódio do Bob Esponja
4. Conde Orlok aparece no final de um episódio do desenho animado Bob Esponja Calça Quadrada. O vampirão também foi parodiado aqui no nosso país com os curtas Nosferatu no Brasil (1970) e A Noite do Vampiro (2006), que pode ser visto na coluna Minuto do Medo. Há ainda uma ótima refilmagem dirigida por Werner Herzog em 1979. 

5. Nas versões em inglês do filme, o nome dos personagens varia. Em alguns, Hutter é chamado de Thomas e em outras de Jonathon. Sua esposa ora é referenciada como Ellen, ora como Mina. 

6. A ideia culturalmente difundida de que a luz solar é mortal para vampiros vem de Nosferatu, primeira obra a mostrar a criatura morrendo dessa forma. 

7. Nosferatu aparece em cena por menos de 9 minutos durante todo o filme. 

Willem Dafoe como Conde Orlok/Max Schreck em A Sombra do Vampiro
8. O clipe da música Under Pressure, da banda Queen, usa algumas cenas de Nosferatu e de outros filmes mudos da década de 1920. 

9. A Transilvânia, lar do Nosferatu, é uma região localizada na Romênia. No entanto, as filmagens foram feitas na Alemanha, Eslováquia e Suécia. 

10. Existe uma lenda de que Max Schreck, intérprete de Nosferatu, era realmente um vampiro, ideia que inspirou o longa A Sombra do Vampiro (2000). Willem Dafoe (Homem-Aranha) deu vida ao ator alemão e ainda conseguiu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por esse filme. 

Fontes: IMDB e Tudo Sobre Cinema

Aproveite para ler também:

Playlist: Dez trilhas marcantes de terror

Sem maquiagem: os atores por trás dos monstros do cinema