Crítica: Extraordinary - The Stan Romanek Story (2013) - Sessão do Medo

9 de junho de 2019

Crítica: Extraordinary - The Stan Romanek Story (2013)


Se o mundo fosse um lugar mais justo, Extraordinary: The Stan Romanek Story (2013) seria adaptado no Brasil como As Extraordinárias Mentiras de Stan Romanek. Afinal, é disso que se trata o documentário. 

Prometendo apresentar ao espectador "o caso de contato extraterrestre mais bem documentado do mundo", a obra do diretor estreante Jon Sumple é centrada na figura real de Stan Romanek, norte-americano que relata ter tido contato com alienígenas em sua casa. Além de avistar objetos voadores não identificados com frequência, ele teria sido abduzido e registrado, em vídeos e fotos, seres de outro planeta. Pensei em escrever "a gente finge que acredita", mas nem isso dá para fingir.

O começo do documentário não denuncia o desastre que estava por vir: alguns detalhes são assustadores e quase convencem. As sombras e vultos flagrados por Stan em sua residência são, de fato, sinistros, dando calafrios típicos de bons filmes de terror - o momento em que uma câmera externa é "levada" pelos supostos alienígenas também é interessante. As filmagens de esferas brilhantes e os objetos voadores, por outro lado, não têm peso nenhum. Mas o longa joga sua credibilidade na lata do lixo quando chega na parte em que Stan encontra e filma o suposto alienígena, baixinho e cabeçudo. Ou seja, aquele velho estereótipo de ET dos anos 80 e 90 provavelmente feito com a ajuda de algum amigo ou parente que aceitou participar da farsa - a criatura aparece mais uma vez espiando pela janela (até porque eles viajam o universo para ficar de tocaia na porta da casa dos outros). A partir daí, é ladeira abaixo.

Stan Romanek, o homem que diz ter tido contato com ETs
As bizarrices envolvem supostas chamadas telefônicas de uma alienígena com sotaque britânico (?), conversas de Stan com pessoas que só depois são apresentadas, a fotografia de uma alienígena infiltrada em uma palestra e a possível interferência do governo ou de alguma organização secreta (quem liga?). Tudo isso pela óptica de Stan, sua esposa e outros do seu círculo social próximo. Com preguiça de fazer uma investigação mais aprofundada, o diretor Sumple traz alguns "especialistas" para tentar dar alguma relevância às afirmações do protagonista. Se o psicólogo entrevistado serve apenas para dizer que "Stan não tem problemas mentais", o físico não diz nada com nada. O bom é que ele vai poder colocar no currículo que apareceu em um documentário.

É necessário fazer um esforço muito grande para sobreviver aos 30 ou 40 minutos finais. Em uma escolha totalmente equivocada e irracional de montagem, Sumple bombardea o espectador com fotos e vídeos caseiros na primeira parte do documentário e deixa todas as entrevistas para serem exibidas depois, em uma sequência infindável e cansativa. Inclusive, somos obrigados a ver de novo as aparições do ET na casa de Stan e também novos momentos constrangedores (o que são aquelas sessões de hipnose?).

Suposto alienígena infiltrado em palestra de Stan (seria um agente do filme MIB: Homens de Preto?)
Carregado de pseudofilosofia - o protagonista ainda tenta passar uma lição de moral com base no que aprendeu com a experiência -, Extraordinary: The Stan Romanek Story é um desserviço a quem leva a ufologia a sério. Em meio a tantos casos, fez-se a opção de dar voz a um indivíduo que certamente só estava mais interessado em lucrar em cima da sua fábula (claro que ele escreveu um livro e saiu por aí dando palestras).

Stan, aliás, acabou sendo preso por posse de material pornográfico infantil, fato que o documentário apresenta e logo corre para insinuar que o homem foi vítima de uma armação na qual alguém, provavelmente do governo, teria plantado os arquivos em seu computador pessoal como modo de levá-lo à prisão e silenciá-lo. O mais grave disso tudo é que não vemos uma entrevista de Stan alegando isso em sua defesa, mas o próprio filme abraça a ideia da maneira mais conspiratória  e irresponsável possível.

Considerando que o documentário está na Netflix para usuários de vários cantos do mundo assistirem, o governo dos Estados Unidos perdeu de 7x1 na tarefa de calar Stan. E já dá até para engatar uma continuação em que os alienígenas revelam ao sujeito que a Terra, na verdade, é plana. Aliás, daria uma trilogia perfeita: no último filme, Stan descobriria que o aquecimento global é uma farsa. Melhor eu apagar isso antes que o amigo dos ETs leia e leve a sério.

Título Original: Extraordinary: The Stan Romanek Story
Ano: 2013
Duração: 105 minutos
Direção: Jon Sumple
Roteiro: Jack Roth e Jon Sumple