Cenas Marcantes do Terror: Pânico (1996) - Sessão do Medo

6 de julho de 2019

Cenas Marcantes do Terror: Pânico (1996)


Chegando numa época com um público cansado de mesmices, Pânico (1996) foi considerado uma revitalização para os slashers-movies. O filme escrito por Kevin Williamson (Tentação Fatal) e dirigido por Wes Craven (A Hora do Pesadelo) apresentou um marco por utilizar da metalinguagem para satirizar e renovar o saturado subgênero do terror.

Como um esquenta para o vindouro reboot da série Scream, vamos relembrar o que a trama do Cara de Fantasma proporcionou na era do neoslasher.


Qual o seu filme de terror favorito?


Preparada exatamente para fazer o espectador acreditar que qualquer coisa aconteceria no filme, a cena inicial de Pânico foi emblemática, aterrorizante e chocante, e para enfatizar isso, Drew Barrymore foi escolhida para encabeçar esse triunfo clássico.

Servindo como homenagem a sequência de abertura - de 21 minutos de duração - do terror psicológico Quando um Estranho Chama (1979), Pânico decorreu por 13 minutos o feito principal que moveria seu enredo: o texto metalinguístico que pontua as características do slasher e uma figura mascarada que intimida através do telefone e é armada com uma faca.

O que começa com a simples pergunta "qual o seu filme de terror favorito?" - e o que seria dessa simples pergunta sem a dublagem original na voz de Roger L. Jackson? - , Casey nem se dá conta de quando o chamado Ghostface estava a induzindo para então fisgá-la de vez. Foi contextualizando com filmes de terror que o jogo de vida ou morte é lançado, distribuindo tensão e pressão psicológica para a moça que preparava pipoca para assistir algo assustador.

O resultado é um misto de diversão com a transformação apavorante que termina em tragédia.


O assassino poderia ser muito bem uma mulher


No dia seguinte a morte de Casey e seu namorado Steve (Kevin Patrick Walls), a fictícia cidade de Woodsboro, Califórnia, está chocada com a notícia do assassinato duplo. Enquanto descobrimos que isso de alguma forma afeta a protagonista Sidney Prescott (Neve Campbell, Jovens Bruxas), conhecemos nesse caminho a carismática e melhor amiga de Sidney, Tatum (Rose McGowan, Planeta Terror).

Sentados ao redor do chafariz no colégio, o grupo de amigos também compostos por Billy Loomis (Skeet Ulrich, Escape Room) namorado de Sid, Stuart (Mattew Lillard, 13 Fantasmas) e Randy (Jamie Kennedy, O Filho do Máscara) discutem sobre o caso e, principalmente, de quem estaria por trás dos crimes: um homem ou uma mulher.

Se baseando no que ouviram, Stu especula que obviamente, só um homem poderia fazer tais atrocidades, até que contrariado por Tatum (com quem namora) que suas palavras são machistas, pois o assassino pode ser muito bem uma mulher, nisso, é só olhar para o filme Garotas Selvagens - que também contou com Campbell como umas das protagonistas. Nessa cena, o longa já marcou dois pontos, um pelo feminismo de Tatum e outro por colocá-la como uma amiga inteligente, e não um estereotipo que apoia a best friend e morre sem nada relevante na história.

O primeiro ataque!


Antes da segunda chamada do Ghostface, ficamos a par de que a morte de Casey aconteceu próximo da data em que a mãe de Sidney foi assassinada. No meio disso, um homem foi levado a julgamento.

Sozinha em casa enquanto espera por Tatum, a jovem é acordada por um telefonema: "hello, Sidney", diz a voz do outro da linha, mas a moça não leva a sério e acredita ser o amigo Randy pregando uma peça depois da conversa que tiveram mais cedo.

O (a) psicopata não desiste e tenta cada vez mais intimidar Sidney, que se mostra ousada, irônica e nada convencida de que há um (a) assassino (a) falando com ela ao telefone, até ser ameaçada de que se desligasse, seria morta da mesma forma que a mãe.

Ironicamente, depois do primeiro ataque do Ghostface, a garota sobe as escadas (exatamente o que tinha apontado como um clichê de filmes de terror minutos atrás), dá um jeito de impedir que o invasor entre no quarto enquanto chama a polícia.

Só com essa demonstração, Pânico mostrou outra vez que veio para desconstruir muitas trivialidades persistentes do horror.

Te mando uma cópia...


Evidentemente, em toda notícia sobre o terrível caso de Casey, Sidney se mostrava incomodada quando a repórter vestida com um casaco e saia verde abacate aparecia em tela. Depois que a mídia descobre que a jovem foi quase uma vítima do mascarado, começa a assediar para querer um furo, ao mesmo tempo que retomam o acontecimento que matou Maureen Prescott (Lynn McRee).

E claro que a insistente Gale Weathers (Courteney Cox, Friends) não desistiria de extrair alguma coisa de Sidney. No diálogo tenso, mais informações são passadas: a repórter escreveu um livro sobre o caso de Maureen, e quando questionada ironicamente pela filha da falecida, responde também com ironia "Cindy, sua bunda tá caída" que a obra vai bem e que mandaria uma cópia, o que faz com que Sidney soque imediatamente o seu rosto como resposta.

Mais tarde, em outro diálogo entre as duas - com Gale querendo distância da jovem - finalmente entendemos o porquê do conflito: Gale acredita que o homem ao qual Sidney afirmou ser o responsável pela morte Maureen é inocente, e que a garota não tinha muito certeza do que viu e denunciou, e que no seu livro, tinha provas o suficiente que provava isso.

Freddy faxineiro


Numa cena rápida antes que o Ghostface dê cabo do diretor do colégio, Wes Craven aparece interpretando o faxineiro. Mas além da pontinha em cena, o cineasta se caracterizou de um dos personagens mais icônicos do slasher: Freddy Krueger.


De que filme é essa cena?


Para alguns, Pânico é tido como um filme "parado", quando a sua intenção não foi ser um filme com várias mortes calculadas estando os personagens em lugares específicos ou fazendo coisas específicas que causariam suas respectivas mortes.

Se tratando de festas, é sabido que é a ocasião perfeita para o psicopata entrar em ação porque, além de pessoas com atitudes estúpidas, outras fumam, bebem e transam, atraindo a sua punição. Felizmente Tatum protagonizou umas das poucas, mas melhores cenas que o longa teve.

Ao buscar mais cervejas no freezer da garagem, a moça é surpreendida pelo Ghostface - sem saber que se tratava do autor da morte de Casey -, mas afronta de todo jeito na tentativa de escapar com vida. "De que filme é essa cena? Assassinato na Garagem?" "Posso ser a vítima indefesa?". 

O diálogo aqui foi curto, mas foi memorável a ponto de ser maravilhosamente homenageada em Todo Mundo em Pânico (2000).

As 3 regras


Mesmo que tenham sido elementos que definiram o estilo slasher, ainda que com diferentes assassinos ceifando adolescentes, as histórias do subgênero tinham um jeito comum de fazer as mortes acontecerem: após o clichê.

Em uma bela sátira, enquanto Randy recitava as três regras: não fazer sexo, beber e fumar e por fim dizer "eu já volto", os amigos da festa zoavam por ser exatamente o que eles estavam fazendo ao tempo que assistiam Halloween - A Noite do Terror (1978) e ainda melhor, foi termos Sidney se despindo das vestes habituais de uma final girl ao perder a virgindade com Billy.


 Dewey e Gale


A grande união improvável da repórter Gale e o policial Dewey - representando a polícia que sempre chega depois do caos, mas ele estando presente em tudo é a mesma coisa que nada, pois o cara só se ferra - aconteceu de maneira fofa.

Sendo os dois quase atropelados, ambos são jogados para o acostamento e lá descobrem o carro procurado do pai de Sidney.

Para quem você ligou?


Provando que nada acarretaria ao sair do ciclo da pureza, Sidney mostra que não perdeu sua essência ao indagar para quem Billy ligou quando foi preso suspeito de a perseguir dentro de casa. 

Ele diz que foi para o pai e que ele não atendeu no momento, e mesmo sabendo que o xerife fez a ligação, a moça dá o veredito de que seria muito esperto da parte dele usar a única chamada que tinha direito para ligar para ela enquanto estava na casa de Tatum, e assim ela desconsideraria que o namorado tentou matá-la.

Desfazendo a teoria, o Ghostface aparece e mata Billy bem na frente da namorada.

 30 segundos de atraso


Ao correr para pedir ajuda, Sidney se depara com a van em que Gale e o cinegrafista Kenny (W. Earl Brown, Preacher) vieram, e lá se depararam com a filmagem da câmera implantada por Gale na casa e nela Randy estava prestes a ser assassinado. 

Ao correr contra o tempo para salvar o jovem, Kenny descobre que há um delay entre o que está sendo filmado e exibido, assim é morto pelo killer - que o surpreende do lado de fora da van.

Peguei as suas chaves


Essa se tornou referência até na versão para TV da MTV. Tem coisa mais irritante de quando o mocinho ou mocinha em um thriller ou filme de terror, desesperadamente lutam para conseguir um carro, e quando conseguem, são mortos, o pneu está furado ou batem o carro?

Ah pois, antes mesmo de conseguir nessa repetição, o Cara de Fantasma já tinha tirado o molho de chaves do carro antes que Sidney tivesse pensado em usar o automóvel.

Foi ele, Sidney!


Quem seria a face por trás da máscara é algo que todo mundo queria saber e Sidney estava abalada o suficiente para não acreditar em ninguém, por isso, quando seus dois amigos Stu e Randy aparecem um acusando o outro da autoria dos assassinatos é compreensível que a jovem tenha optado ignorar o tumulto.

Surpresa, Sidney.


Partindo para a reta final, é hora das revelações. De muitas, a primeira é que Billy se revelou ser o assassino, em seguida diz que o sangue ao qual usou para simular sua morte foi xarope de milho. Depois, que Randy realmente estava certo, pois, não era apenas um assassino e sim dois, contando com Stu - aí vem aquele momento que percebemos o quanto Billy e Stuart agiam estranho quando falavam sobre filmes de terror e os assassinatos.

E não pararam por aí, pois ambos se revelaram assassinos de Maureen, logo, Gale estava certa sobre a inocência de Cotton (Liev Schreiber). O motivo de Billy é que a reputação da mãe de Sidney em se envolver em vários relacionamentos, acabou causando a separação dos pais dele, porque depois que sua mãe descobriu a traição, foi embora.

Não no meu filme

"Cuidado, pois esse é o momento em que o assassino se levanta para o susto de último segundo".
Lutando da melhor forma, Sidney se aproveita do momento de distração dos assassinos, assume a roupa e usa o modificador de voz para jogar com os dois. Quem disse que para ser final girl poderosa precisava ser virgem? Além de sobreviver três pessoas, a moça se testifica de que não acontecerá do vilão se levantar no último segundo para tentar contra a sua vida. Billy até tentou, mas foi interrompido com um tiro no meio da testa e a melhor frase para encerrar a trama foi dita logo depois: "não no meu filme".

Sentiu falta de mais alguma cena? Nos conte nos comentários.