Cenas Marcantes do Terror: Pânico 2 (1997) - Sessão do Medo

9 de julho de 2019

Cenas Marcantes do Terror: Pânico 2 (1997)


As sequências são desnecessárias mesmo ou há algumas exceções? Como de costume, o sucesso de Pânico possibilitou uma continuação, porém, mesmo conseguindo lucrar bastante, a trama perdeu a qualidade, mas ainda assim, conseguiu ser marcante. Venha relembrar o que fez Pânico 2 não cair no esquecimento.

Preferia ver o filme com Sandra Bullock


Chegando um ano depois do antecessor, a sequência inicia com mais uma abertura longa (com dois minutos a menos que a de Casey), contudo, repleta de críticas sociais, humor e terror.

Após a repercussão da tragédia em Woodsboro, o livro sobre o ocorrido e escrito pela repórter Gale Weathers (Courtney Cox) chamou a atenção de Hollywood que adaptou o conteúdo para as telonas. Assim como muitos jovens, o casal Maureen (Jada Pinkett Smith, Até As Últimas Consequências) e Phill (Omar Epps, Drácula 2000) se dirigem ao cinema para conferir a pré-estreia do badalado longa-metragem.

A caminho do local, os diálogos entre os dois já ganham espaço pelas reflexões levantadas. Maureen toda afiada não está tão a fim de assistir ao filme, e por isso começa a falar que os filmes de terror são conhecidos por excluírem a população afro-americana. Depois, quando o chamado "Apunhalada" está sendo exibido, a moça começa a questionar qual a necessidade de ter nudez feminina em longas do gênero.

Enquanto o texto expôs as problemáticas nos slashers, as pessoas da sessão, vestidas do Ghostface, vibram com as cenas de matança. O que ninguém esperava é que em meio a toda essa diversão temática, o casal seria brutalmente assassinado.

Como bem sabemos, a cena foi parodiada em Todo Mundo em Pânico.

A violência é culpa do cinema?


A homenageada cena na primeira temporada da série Scream nasceu num debate em Pânico 2, sendo o texto uma das melhores - se não a melhor - coisa do filme. Depois que os assassinatos no cinema caíram ao conhecimento da mídia e da população, numa aula de teoria de cinema o professor lançou uma pergunta tentadora: o longa "Apunhalada" influenciou as mortes de Maureen e Phill?

O que foi rebatido em seguida por Casey 'Cici' Cooper (Sarah Michelle Gellar, Eu Sei o que Vocês Fizeram no Verão Passado), afirmando que não dá para culpar os filmes pelos atos das pessoas. Até que alguém sugere que o fatídico caso parecia ser uma sequência da vida real, ou seja, alguém dando continuidade ao que aconteceu em Woodsboro.

A partir disso, se desenrola uma engraçada conversa de que as sequências de filmes nunca superaram os originais, com os alunos sugerindo alguns filmes que foram superiores ao principal.

 O segundo soco


Ousada e persistente, Gale foi uma personagem que não perdia tempo para conseguir os furos mais polêmicos para a sua carreira. Dito isso, assim como o tremendo soco dado por Sidney após o "te mando uma cópia do livro", a moça é agredida mais uma vez depois de forçar uma entrevista surpresa com a final girl e Cotton (Liev Schreiber, A Profecia) o cara acusado de matar Maureen, mãe de Sidney, mas foi inocentado após Billy Loomis ter confessado o crime. A cena foi hilária mais uma vez.

Hello, Cici



As chamadas estavam de volta e a (s) pessoa (s) por trás novos crimes tinha esquema sendo expressado. A primeira vítima a ser atingida por essa empreitada foi Cici, que estava sozinha na casa da irmandade, a fim de prestar carona para alguma universitária bêbada que precisasse, o que ela não contava era ser intimidada pelo Ghostface e por fim morta.

Cici até que por momento faz o que muitas vezes queríamos que os personagens em perigo nos filmes slashers fizessem: usassem a porta da frente, mas depois ela retrocede e sobe as escadas até não ter mais para onde fugir e jogada da sacada do quarto.

As sequências e Randy



Em mais uma amostra do texto excelente de Kevin Williamson, o filme nos entrega uma interessante cena entre Dewey (David Arquette) e Randy (Jamie Kennedy) ao conversarem das regras que se sucedem nas sequências de filmes slashers (maiores e mais sangrentas) a medida que eliminam os possíveis suspeitos da lista.

Além de maior destaque nos diálogos, tivemos que dar adeus ao personagem numa graciosa cena dirigida pelo Wes Craven. Tendo a ideia estúpida de se separem de Randy, Gale e Dawey percorrem o gramado da faculdade enquanto o especialista em filmes está na linha com o Ghostface, isso na tentativa de flagrarem o criminoso (a) já que estão ao ar livre. Todos falhando miseravelmente em conseguir capturar o mascarado, Randy é arrastado para dentro da van de equipamentos de Gale e através do retrovisor observamos o assassino matá-lo brutalmente.

Revendo as filmagens



O que resta para os pombinhos depois de se reatarem (tudo estava bem, até o policial inativo ler o quanto foi esculhambado no livro da repórter) é revisarem as filmagens feitas pelo cinegrafista Joel (Duane Martin) visando encontrar algum vestígio de quem seja o assassino (a).

Contrariando os dois, o Ghostface dá as caras e mostra que também estava registrando tudo, e numa tomada inesperada com Gale sendo perseguida, a moça acaba assistindo o "namorado" morrer sem poder fazer nada para ajudar.

Lá para a cena final descobrimos que foi só mais uma morte falsa do cara, pois Kevin e Wes não estavam dispostos a se desfazerem do trio principal (antigo quarteto, agora que Randy morreu).

Saindo do carro


Próximo da reta final, Pânico 2 apresenta mais alguns elementos tensos, afinal, se tratando de uma continuação, tem tudo para ser mais brutal. A cena também foi homenageada na série Scream, mas dessa vez, no final da segunda temporada.

Sidney estava sendo acompanhada para fora da cidade juntamente de sua amiga Hallie (Elise Neal, Logan) por dois oficiais de justiça, até o Ghostface surgir implacável, matar os oficiais, assumir o volante do carro e ainda atingir uma área que estava em reforma, com as garotas nos bancos traseiros. Estando ele (a) desacordado, a tensão toma conta do automóvel quando Sidney tenta sair ao mesmo tempo que pensa em retirar a máscara.

Hallie até a convence a não retirar a máscara e simplesmente fugirem do local e pedirem ajuda, mas ao decidir voltar e aproveitar a deixa, é quando Sidney se dá conta que o mesmo havia acordado e escapado do carro, assim, matando a amiga que a aguardava na esquina.

Revelações


Não sendo pouco o perrengue que passou, Sidney se desloca para o auditório na universidade para descobrir que o namorado Derek (Jerry O'Connell) que estava desconfiada não era um assassino - por mais que Mickey (Timothy Olyphant) fizesse uma cena à la Stu e Randy, para depois relevar ser um dos criminosos. A surpresa melhor ficou por conta da sra. Loomis (Laurie Metcalf, Lady Bird - A Hora de Voar) colocando as cartas na mesa.

Ela, mãe de Billy Loomis estava fortemente inconformada com a morte do filho, por isso executou um plano de vingança e iria culpar o parceiro Mickey, que só queria ir a julgamento e argumentar que fez tudo por influência dos filmes.

Mais do equipada no empoderamento após soltar para Dewey a frase "não me trate como se eu fosse de vidro, eu não quebro", Sidney e Gale terminaram descarregando duas pistolas em Mickey para garantir que ele não iria voltar, e por fim, a final girl repete  na sra. Loomis a mesma dose de defesa que aplicou em Billy: um tiro na testa.

E aí, sentiu falta de alguma cena? Nos conte nos comentários.